terça-feira, 13 de setembro de 2011

Lagos


Lagos é uma bonita cidade Portuguesa que fica localizada no Algarve, no distrito de Faro. 
 


Tem uma longa história ligada ao mar. O primitivo nome, Lacobriga, denuncia os primeiros habitantes de origem celta deste porto, cerca de 2000 anos a. C. Foram sucedidos por fenícios, gregos e cartagineses, mas foram os romanos que a fizeram crescer e prosperar. 



Os árabes rodearam-na de muralhas no séc. X e chamaram-lhe Zawaia. Aqui ficaram até serem conquistados pelos cristãos em 1249, ano em que a povoação foi integrada em território português. Esta zona foi a última a ser reconquistada e os seus vestígios prolongaram-se até aos nossos dias nos monumentos, ornamentação das ruas e nas fortalezas que se encontram ao longo de todo o litoral.



A cidade de Lagos viveu sempre a sua história muito ligada ao mar. No principio com o seu porto marítimo e hoje em dia com as suas praias que são um grande atractivo para atrair turistas. Alem das suas praias, os seus monumentos devem-se também destacar, sobretudo pela sua beleza e arquitectura.



Durante o Séc XVI e XVII, foram vários os palácios que se construíram nos arredores do seu porto marítimo, assim como igrejas, ermidas e templos religiosos que proliferaram com um estilo barroco.



Lagos tornou-se conhecida como a Cidade dos Descobrimentos porque foi a partir daqui que o Infante D. Henrique iniciou a grande diáspora do Descobrimentos portugueses. Foi um ponto de paragem quase obrigatório para as primeiras expedições que cruzavam o oceano atlântico, com a intenção de conhecer o novo mundo. Era um Lugar donde se partia sem ter ideia onde se ia chegar.



Apesar de o terramoto de 1755 ter provocado grandes estragos, Lagos conservou nas suas ruas e praças muito do encanto de uma cidade secular. No local da antiga cidade medieval - um quadrilátero definido pelas muralhas e pelas ruas de São Gonçalo e de 5 de Outubro -, as casas mostram muito do seu carácter nas cantarias das janelas e portas, nos ferros forjados das varandas, nos espaços de sombra e frescura criados pelas ruas estreitas e nos pátios onde crescem figueiras, videiras e flores.



A parte da cidade nascida da expansão dos sécs. XV a XIX tem o seu coração na Praça Gil Eanes e no meandro de ruas onde se descobrem azulejos ao gosto da “Arte Nova”; casas apalaçadas de fachadas nobres, a alvura de paredes recortadas pelas cantarias das janelas.


A visitar
A Ponta da Piedade
Ninguém pode resistir a um passeio até à Ponta da Piedade, onde um farol construído no local de uma antiga ermida marca o limite entre a terra e o mar.


Com uma magnífica vista sobre o Atlântico e as formas das falésias, esculpidas pelo mar e pelo tempo, a Ponta da Piedade constitui um cenário edílico de rochedos recortados em constante contraste com o azul esverdeado das águas que lhe dão um colorido particular. Situada a dois quilómetros de Lagos, na Costa d’Oiro, e repleta de grutas, baías desconhecidas e praias tranquilas, a Ponta da Piedade é particularmente atraente quando vista a partir do mar.



A entrar no oceano, uma longa e estreita escadaria conduz a uma pequena enseada, onde barcos pitorescos esperam pelos visitantes que pretendem explorar este paraíso natural. Um passeio diferente que permite conhecer de perto as formações rochosas existentes na costa, verdadeiras obras-primas moldadas pelas ondas e a que os locais gostam de dar nomes.



O castelo dos governadores
Paralelo à Avenida dos Descobrimentos, o Castelo dos Governadores conserva pouco da sua construção inicial, tendo sofrido muitas alterações ao longo do tempo. É, no entanto, uma das referências principais de Lagos. Possui, na fachada, uma janela manuelina de onde Dom Sebastião terá assistido à missa que precedeu a sua partida para Alcácer Quibir. Nos relvados do Jardim da Constituição, frente à janela, três painéis, da autoria do escultor João Cutileiro, evocam esta histórica batalha que custaria a vida ao rei português.



O centro histórico
Na Praça do Infante, onde uma estátua fixa o mar numa calçada trabalhada em ondas azuis, a Igreja de Santa Maria vira a sua fachada à esplanada. Iniciada no século XV, sofreu várias modificações, sendo reconstruída no século XIX após um violento incêndio. Em baixo pode apreciar-se a fachada do Armazém Regimental e o Mercado dos Escravos, espaços actualmente utilizados para exposições de arte.



Arco de São Gonçalo
Oratório edificado nos anos 40 para perpetuar a memória do Santo Padroeiro de Lagos que terá nascido em 1360, segundo a tradição, numa casa situada junto das Portas do Mar, no local onde hoje se encontra o seu nicho e imagem. Lagos comemora, a 27 de Outubro, o seu feriado municipal, em honra deste seu ilustre filho e padroeiro.


O Forte da bandeira
Também conhecido como Forte do Pau da Bandeira, e localizado junto à ribeira de Bensafrim e ao mar, é uma construção de carácter defensivo (século XVII), com fosso e ponte levadiça. O pequeno areal onde foi construído assistiu às primeiras vendas de escravos, na época em que os portugueses iniciavam as grandes aventuras além-mar sob a orientação do infante Dom Henrique. Hoje, este espaço é utilizado para as celebrações de uma das festas mais tradicionais de Lagos: o Banho 29. Considerado como purificador, em tempos idos a população do concelho deslocava-se como podia para tomar banho de mar à meia-noite no dia 29 de Agosto. O forte oferece uma paisagem magnífica sobre a cidade e o oceano.


Igreja de São Sebastião
Localizada na freguesia de S. Sebastião, encontra-se classificada como Monumento Nacional. O primeiro edifício religioso neste local foi a Ermida de Nossa Senhora da Conceição, construída em 1325.

A Igreja de Santo António
Provavelmente edificada sob o reinado de D. João V, foi construída para servir de local de culto para os militares de Lagos, pertencendo à administração militar. Danificada no Sismo de 1755, foi recuperada em 1769 por ordem de Hugo Beaty, comandante do Regimento de Infantaria de Lagos. É uma construção em estilo Barroco, cuja simplicidade exterior contrasta com a riqueza decorativa do interior. A decoração em talha dourada é considerada das mais belas do País. A obra do retábulo, que sobreviveu ao terramoto, foi encomendada em 1718 ao entalhador Gaspar Martins. A restante obra de talha é atribuída ao entalhador Custódio Mesquita.


Muralhas
A chamada Cerca Velha ficou concluída no século XIV e abrangia um burgo de urbanismo ortogonal com uma “rua direita” e respectivas travessas, que corresponde ao núcleo primitivo da cidade de Lagos conhecido como Viladentro. A muralha renascentista, conhecida como Cerca Nova, cujo plano global foi traçado na primeira metade do século XVI, incorporou no seu perímetro abaluartado as duas paróquias da Cidade, Santa Maria e São Sebastião. Esta obra foi impulsionada durante o reinado de D. João III e concluída na primeira metade do século XVII.



As praias
O enorme areal que se avista do comboio já perto da estação ferroviária de Lagos, com cerca de 4 quilómetros de comprimento, tem características bem diferentes do resto das praias da cidade. Na Meia Praia, a areia é especialmente macia e branca, pelas suas dimensões (é uma das maiores baías da Europa) e ausência de rochas, é ideal para a prática dos mais variados desportos náuticos. Existe um centro de windsurf e, na Marina, podem obter-se informações sobre outras actividades: mergulho, esqui aquático, pesca grossa em alto mar, etc.


Gastronomia
Em Lagos, o prazer da mesa vem do mar.  Aos carapaus alimados, ensopado de safio ou de tamboril e bife de atum juntam-se as sempre apetitosas amêijoas na cataplana, a feijoada de buzinas, as lulas cheias recheadas com presunto e chouriço e muitos condimentos. Nos doces, Lagos tem uma tradição que remonta aos tempos em que as gulosas freiras do Convento de Nossa Senhora do Carmo criaram a receita dos dom-rodrigos. Morgados de figo e de amêndoa, figos cheios e bolos de mel são uma boa forma de acabar a refeição, acompanhada por um doce vinho licoroso com o perfume das uvas moscatel, de produção local.






Artesanato
As artes tradicionais mantêm-se vivas na cerâmica que, utilizando velhas formas, introduz novas decorações e cria figuras ligadas à vida contemporânea, como as chaminés algarvias, os azulejos pintados, ou ainda aos diversos artefactos úteis no dia-a-dia. Mas também na produção de peças em cobre martelado, segundo uma técnica que tem possível origem árabe.O moderno artesanato está representado em Lagos por tecidos estampados, objectos de cabedal, peças em bambu e quadros com flores secas.
 

Festas e Romarias

27 Outubro - Festa de S. Gonçalo de Lagos
Último domingo Agosto - Festa de N. Srª dos Aflitos
Último Fim de semana de Julho - Feira Concurso "Arte Doce"
22 a 24 Novembro - - Feira Franca de Lagos
12 a 13 Setembro - Festa de N. Srª da Conceição em Odiáxere

Lagos é, desde tempos imemoriais, uma cidade rica em história e beleza natural, bem preservada, com amplas áreas pedonais, parques e pequenos recantos, cheios de cor e vida, que convidam a partir à sua descoberta.

Vá visitar, Vale a pena.

Fontes: Wikipedia; http://www.cm-lagos.pt/;http://www.portugalvirtual.pt/; http://www.algarve-portal.com/; http://www.visitalgarve.pt/; http://www.guiadacidade.pt/;  Outros.

Fotos: Pessoais



Sempre que viajamos seja física ou virtualmente (através por exemplo da leitura), alargamos os nossos horizontes, pois vamos conhecer novos locais, novos costumes, novas realidades e gentes. Aumentamos o nosso conhecimento e enriquecemos interiormente.

9 comentários:

  1. Olá Maria.
    Saiba: aprendo muito no teu cantinho.
    És uma querida.

    Beijinho

    ResponderEliminar
  2. Olá Maria. Como já disse ficou encantada com tanta beleza. È um paraíso esses lugares maravilhosos! Obrigada por nos proporcionar tão belas imagens. Obrigada também pelo carinho da sua visita! Tenha um ótimo domingo de paz e linda semana. Bjos com carinho.

    ResponderEliminar
  3. Estou encantada com tamanhas informações. Principalmente na área de turismo. é tanto pra ver em tão pouco tempo, mas sempre vou dar uma espiada, adoro esse tema, e aqui tem muito conteúdo de qualidade. Estou apaixonada. Obrigada por me levar em tantos lugares sem sair de casa. bjos.

    ResponderEliminar
  4. Mais provas de que o Algarve não é só praia! :)

    ResponderEliminar
  5. Sempre que por aqui pouso, deambulo de olhar fixo até ao atingir do horizonte. Adoro. Beijinhos e boa semana ;)

    ResponderEliminar
  6. Olá Maria, excelente reportagem...Espectacular....
    Cumprimentos

    ResponderEliminar
  7. Impossível não se encantar ou se apaixonar, amiga!

    Vim retribuir a tua atenção e o teu carinho!

    Deixo um texto do qual gostei muito:

    FAÇA UMA ORAÇÃO!

    Se hoje você está triste,

    Perdido, com medo, sem solução...

    Faça uma oração!

    Se está enfermo, carente,

    Sem esperança no coração,

    Faça uma oração!

    Deus ouve você!

    A linha está sempre livre,

    Nem precisa conexão!

    A chamada é gratuita,

    Não precisa inscrição.

    Basta que você abra,

    Abra bem seu coração.

    Ele está sempre presente

    E estende sempre Sua mão.

    Mas...

    Quando você estiver feliz,

    Sem poder contar

    Suas horas de alegria,

    Fica um pouco em silêncio

    E... faça uma oração!

    Deixo aqui uma verdade:

    Aquele que merece

    Ouvir suas lamentações,

    Também merece ouvir

    Suas horas de felicidade!


    (Letícia Thompson)

    Beijos meus!

    Sônia Silvino's Blogs!

    http://blogsdasoniasilvino.blogspot.com

    ResponderEliminar
  8. Segui perfume e encontrei este espaço.
    Conhecer alguém aqui e ali……

    Um beijo da Nita. Hoje de bom fim de semana!

    ResponderEliminar

“Aqueles que passam por nós, não vão sós, não nos deixam sós. Deixam um pouco de si, levam um pouco de nós” (Antoine de Saint-Exupery).

Obrigado pela sua visita e pelo carinho que demonstrou, ao dispensar um pouco do seu tempo, deixando aqui no meu humilde cantinho, um pouco de si através da sua mensagem.