quarta-feira, 27 de julho de 2011

Na rota de Templos Budistas


Hoje vamos viajar até ao oriente, na rota de Templos e mosteiros budistas, de paisagens deslumbrantes do místico e diferente país - Myanmar.


Myanmar ou Birmânia, oficialmente República da União de Myanmar, é um país do sul da Ásia continental limitado ao norte e nordeste pela China, a leste pelo Laos, a sudeste pela Tailândia, ao sul pelo Mar de Andamão e pelo Canal do Coco, a oeste pelo Golfo de Bengala e a noroeste por Bangladesh e pela Índia.



Tem uma vasta costa que rodeia uma grande parte do país com uma extensão de 3.000 km. O interior do país está marcado por grandes rios e extensas planícies. As montanhas levantam-se ao leste, ao longo da fronteira com Tailândia e também em direcção ao norte, onde se pode alcançar o extremo leste dos Himalaias. Localiza-se na região asiática das monções, o que faz com que suas regiões recebam mais de 5 000 mm anuais de chuva. Mais de 49% do território do país são cobertos por florestas. Myanmar apresenta grande diversidade étnica. A cultura dominante é principalmente budista e birmane. Numa vila birmanesa tradicional, o mosteiro é o centro da vida cultural e os monges são venerados e apoiados pelos leigos. Todos os meninos de famílias budistas devem tornar-se noviços e monges, mesmo que por pouco tempo.



A sua capital é NayPyiTaw e está situada nas margens do rio Hlaing a 30 quilómetros da costa. As suas ruas largas ainda conservam a arquitectura das suas edificações características da colonização britânica.

Uppatasanti Pagoda



Divagando por Templos e Mosteiros

■ YANGON
Yangon é uma amálgama de influências birmanesas, chinesas e britânicas. É banhada pelos Rios Yagon e Bago, uma cidade com muitos jardins, onde sobressai o dourado dos mais belos templos e pagodes.

- Pagode Shwedagon, um dos mais belos e sagrados monumentos de Yangon. Reza a lenda que foi edificado de há mais de 2500 anos, no tempo de Siddharta Gautama, guardando 6 dos seus cabelos como relíquias. É impressionante a recoberta de lâminas de ouro com que se decorou a construção, Shwe significa dourado, tem uma valiosa colecção de jóias e pedras preciosas que pertenceram a reis e nobres do país. É revestido por 60 toneladas de ouro, 5500 diamantes, 2000 pedras preciosas. A beleza, localização e requinte dos seus dourados e pedras preciosas fazem do Pagode de Shwedagon um dos mais belos monumentos da Birmânia e do Mundo Budista.



- Pagode de Sule , em forma octogonal e localizado em pleno centro da cidade. Segundo a lenda, a primeira construção data de há mais de dois mil anos, tendo sido construída para guardar como relíquia, um cabelo de Buda, que este ofereceu a dois mercadores birmaneses.

- Pagode de Chaukhtatgyi – uma construção de seis andares que aloja um enorme Buda reclinado, mandado erigir nos finais do século XIX por U Hpo That, um birmanês movido pelo desejo de dotar o seu país com um dos maiores e mais belos edifícios de devoção budista.

■ LAGO INLE
O Lago Inle situa-se a nordeste de Myanmar , rodeado de colinas e onde florescem as orquídeas. É admirável a beleza com que se deixa flutuar em suas águas nenúfares e jacintos flutuantes. Nas suas margens vivem os Intha, "Homens do Lago", que cultivam vegetais sobre ilhas flutuantes e remam com as pernas. Um espetáculo impressionante e cheio de misticismo.



A população Intha tem idealizado uma forma original de cultivo, que aproveita a vegetação lacustre para criar verdadeiros hortos flutuantes sobre a água.


Na aldeia de Nyaung Shwe pode-se admirar o Pagode de Phaungdaw Oo, o pagode mais venerado no lago.




■ MANDALAY
A cidade foi fundada em 1827 pelo Rei Mindon como capital do que viria a ser o último Reino Birmanês até à sua conquista pelo Império Britânico em 1886.

De salientar:
- Pagodes de Mahamuni



- Kuthodaw – Pagode onde se encontra o maior livro do mundo.

- Mosteiro de Shwenandaw (Golden Palace) - o melhor da escultura em madeira.

- Pagode Kuthodaw , mandado construir pelo Rei Mindon em 1860, nas encostas do Monte Mandalay rodeado por 729 pequenos templos com inscrições das escrituras budistas em pedras de mármore.



Imperdível uma subida à colina de Mandalay para assistir ao pôr-do-sol sobre a cidade.

■ AMAPURA
Em Amapura, antiga capital, destaque para o maior mosteiro budista birmanês – Mahargandaryone, – uma típica escola monástica com os seus milhares de jovens monges, situado nas margens do Lago Taunghaman.
De salientar também a ponte U Bein sob o lago Thaugthaman, designada como a mais longa ponte de madeira do mundo.



■ SAGAING e MONIWA
Sagaing é o Centro espiritual do país, um lugar calmo, sereno e de meditação que, com as suas mais de 500 stupas, templos e mosteiros atrai milhares de monges budistas de todos os cantos do país.



Entre os locais de maior interesse a visitar destacam-se:

- U Min Thonze Pagoda



- Pagodes de Soonooponyashin, Uminthonese

- Kaunghmundaw

- Pagodes de Thanbodday em Monywa



- grutas de Po Win Daung



■ BAGAN
Fundada no século II, foi a capital do primeiro império birmanês, é hoje uma das mais importantes e sagradas cidades do Sudeste Asiático. Conheceu o seu período mais florescente dos séc. XI ao XIII, altura em que foram construídos milhares de templos budistas, vindo a conhecer o seu declínio com a destruição e saque das invasões mongóis em 1287. É hoje um dos mais importantes centros arqueológicos da Ásia.



A visitar entre muitos:
- Templo de Schwezigon, um dos mais venerados pelas relíquias de Buda que aqui se encontram.



- Templo Htilominlo - contém as melhores esculturas de “ Pilastra”

- Templo Gubyaukgyi – Onde se encontram as melhores pinturas de murais do século XI.

- Templo de Ananda - Obra prima da arquitetura Mon.



- Templo-Caverna Kyanzittha Umin

■ MONTE POPA
O Mount Popa é um vulcão extinto que é conhecido como "Casa dos Espíritos", sendo um destino de peregrinação por albergar as estátuas dos 37 Nats (espíritos). Ao longo da enorme escadaria que leva ao cume, encontram-se altares e estátuas que são alvo da fé dos inúmeros peregrinos que sobem até ao topo onde se encontra um complexo de mosteiros, stupas e templos.
No alto da falésia do Templo de Mt.Popa encontra-se o Mosteiro de Taung Kalat e desfruta-se de uma paisagem maravilhosa.

- Mosteiro de Taung Kalat



Um país com paisagens deslumbrantes, vegetação luxuriante, templos, pagodes e mosteiros únicos, um país exotico.

Fontes: Wikipedia; http://www.portalsaofrancisco.com; http://www.vaviagens.com/; http://www.almadeviajante.com/; Myanmar Travel Net; Trekearth; outros

* Fotos: Net
As fotografias sem indicação dos autores é porque não os consegui identificar. Se forem suas, por favor queiram contactar-me que colocarei imediatamente o seu nome, ou retiro-as se for esse o seu desejo. Não é de maneira nenhuma minha intenção quebrar direitos de autor.
Photographs without the authors’ names are because I could not identify them. If they are yours, please contact me and I will put immediately your name, or remove them, if that is your wish. It is not my intention to break authors rights.



Viajar é alargar os nossos horizontes, é conhecer novas culturas, novos locais, paraísos perdidos que nos fascinam e encantam e se não o podemos fazer fisicamente, podemos sempre fazê-lo através da fotografia e da leitura, essa será a nossa viajem virtual!

8 comentários:

  1. Depois desta viagem fiz a pergunta:
    - Porque constroem os homens casas para os deuses?

    Será que eles precisam destas construções de pedra e ouro...?

    Se a fé nos salva estas construções matam-na, limitando os deuses aos nossos espaços.

    ResponderEliminar
  2. Lindos templos. Aqui no meu estado há um templo Budista lindo. É na cidade de Três Coroas. Fomos lá uma vez, mas a estrada é péssima.
    Beijocas, amiga!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. originalmente os templos nao possuem aquela aboboda dourada e pontuda ela foi construida pra representar para o povo que os deuses estavam ali
      sendo que eles ja naum voltavam a muito tempo........

      Eliminar
  3. Transmissão de pensamentos, Maria. Estava precisamente para te ir visitar quando vejo o teu comentário. Este teu post é absolutamente ... deslumbrante! Vou lê-lo de novo e apreciar as lindas imagens. O oriente sempre me fascinou e até pensei um dia visitar um dos seus lindos países. Hoje não estou bem certa. É que é tãããão longe! Tudo o que seja mais de 7 ou 8 horas (Toronto-Lisboa) é mesmo demais!!!!!
    Abraço e bom fim de semana.

    ResponderEliminar
  4. Oi minha querida amiga Portuguesa. Lindo, maravilhoso, fantástico esse teu blog de viagens.Eu que AMO VIAJAR e vivo todos os dias viajando pelo meu amado Brasil adorei conhecer esse teu cantinho espetacular. Já estou te seguindo e voltarei aqui inúmeras vezes. Um ótimo domingo, beijos.

    ResponderEliminar
  5. Bom dia Maria, adoro viajar por sua pagina traz paz interior,muito zen, obrigada pelo seu carinho e venha sempre que quiser.. bjs

    ResponderEliminar
  6. Olá Maria, sempre bom viajar por aqui, lindas fotos.Felicidade!
    Um otimo domingo e inicio de semana. Bejitos.

    ResponderEliminar
  7. Vim alargar, mais, meu horizonte. Só hoje,
    descobri este blog condutor...Adorei, Maria.
    Agora já sei, como fazer belas viagens...

    Eu vou, mas volto, um abraço,
    Lúcia

    ResponderEliminar

“Aqueles que passam por nós, não vão sós, não nos deixam sós. Deixam um pouco de si, levam um pouco de nós” (Antoine de Saint-Exupery).

Obrigado pela sua visita e pelo carinho que demonstrou, ao dispensar um pouco do seu tempo, deixando aqui no meu humilde cantinho, um pouco de si através da sua mensagem.