segunda-feira, 28 de fevereiro de 2011

Centro Histórico de Angra do heroísmo - Património da Humanidade


O nosso país tem belíssimos monumentos, cidades maravilhosas e paisagens sublimes que merecem ser visitadas e admiradas, mas como nem sempre é possível viajar, pelo menos podemos apreciar em fotografia, alguns desses locais espectaculares e que foram considerados pela "UNESCO" como “Património da Humanidade”.

Património português classificado pela UNESCO como Património da Humanidade:

Hoje vou apresentar: Angra do heroísmo, classificada como património da humanidade pela UNESCO desde 1983.

Foto: 1ms.net

Angra do Heroísmo fica situada a sul da Ilha Terceira numa pequena e lindíssima baía, no arquipélago dos Açores. Deve o seu nome a D. Maria II, que assim designou a cidade devido ao heroísmo demonstrado pela sua população durante as lutas liberais no princípio do século XIX.

Foto: wikipedia_Autor José Luís Ávila Silveira/Pedro Noronha e Costa


Esta ilha portuária e antigo forte do século XVI foram de importância estratégica para mercadores e comerciantes portugueses e espanhóis, ao longo dos séculos, que usavam o porto abrigado da ilha como ponto de paragem entre África, Europa e as Índias Ocidentais e Américas.


Foto: wikipedia_Autor José Luís Ávila Silveira/Pedro Noronha e Costa


A cidade foi o refúgio do escritor, orador e político João Baptista da Silva Leitão de Almeida Garrett, durante a Guerra Peninsular. As suas bonitas e típicas ruas são o reflexo de anos de história e influência dos vários habitantes vindos de variadas regiões.


Foto: www.olhares.com_Bonds3334


A Praça Velha constitui o centro da cidade por excelência, constituindo-se no núcleo a partir do qual se desenvolveram as principais artérias da malha urbana. Ao longo da sua história conheceu diferentes funções: mercado de galinhas e gado aos domingos, palco de corridas de toiros, palco de enforcamentos durante as lutas entre liberais e absolutistas. Chamada de cidade monumento, pelo seu rico património de grande valor artístico, como o provam o seu legado de esculturas, talha dourada, azulejaria e mobiliário de madeiras exóticas que recheiam os seus solares, igrejas e monumentos.


Foto: wikipedia_José Luís Ávila Silveira/Pedro Noronha e Costa


O Centro Histórico de Angra do Heroísmo foi classificado como património mundial pela UNESCO, atestando assim o seu grande valor arquitectónico, histórico e cultural. Palácios, conventos, fortificações, edifícios, ermidas, capelas, igrejas, onde se destaca a Sé Catedral, formam no seu todo, uma cidade de aspecto único e de grande beleza.


Foto: wikipedia_Martin Herbst

Angra do Heroísmo orgulha-se também pelos seus espaços verdes, como o central Jardim Duque de Terceira, o Parque Municipal do Relvão, ou o Parque Arqueológico Subaquático da Baía de Angra do Heroísmo.


Foto: wikipedia_Autor Carlos Luis M C da Cruz

A não perder:
Museu de Angra do Heroísmo
O Museu localiza-se no Centro Histórico de Angra do Heroísmo, o seu espólio é vasto e diversificado, abrangendo a história regional e as suas relações com o mundo. Destacam-se as suas colecções de etnografia, armaria e militaria, pintura, escultura, mobiliário, traje, transporte, cerâmica, instrumentos musicais. No tocante a Artes Plásticas contemporâneas, destaca-se a colecção António Dacosta, artista natural de Angra do Heroísmo, reconhecido internacionalmente.


Foto: wikipedia_Autor Carlos Luis M C da Cruz


Palácio Bettencourt
Casa solarenga, edificado entre os séculos XVII e XVIII. Neste local encontra-se a Biblioteca Pública e Arquivo de Angra do Heroísmo.

Foto: wikipedia_Autor Luis Silveira

Sé Catedral
A Igreja do Santíssimo Salvador da Sé, ou simplesmente a Sé Catedral, localiza-se, no centro histórico da cidade. Remonta a uma primitiva igreja paroquial, iniciada por Álvaro Martins Homem em 1461. Sob a invocação de São Salvador, deve ter sido concluída em 1496, data da nomeação do seu primeiro vigário. Teve de ser reconstruída após o sismo de 1980 e de um incêndio poucos anos depois.

Foto: wikipedia_Autor Carlos Luis M C da Cruz

Convento e Igreja de São Gonçalo
O Convento localiza-se no centro histórico. É considerado o maior e mais antigo convento da cidade e o maior do arquipélago, tendo chegado a abrigar mais de cem religiosas. Constituiu-se em reputado centro de educação e de belas-artes, chegando a reunir duas centenas de educandas, que aqui tinham aulas de música, canto, desenho, pintura e humanidades.

Foto: wikipedia_Autor Carlos Luis M C da Cruz

Igreja da Misericórdia
Está implantada no local onde foi fundado o primeiro hospital do arquipélago, por compromisso da Confraria do Santo Espírito, datado de 15 de Março de 1492. O actual templo data do século XVIII.

Foto: wikipedia_Autor Carlos Luis M C da Cruz

Castelo ou Fortaleza de São João Baptista
Foi mandado construir por Filipe I sobre o istmo do Monte Brasil e constitui a maior fortaleza erigida em Portugal durante o domínio espanhol.

Foto: wikipedia_Autor Carlos Luis M C da Cruz

Monte Brasil
Lá do alto a vista é fantástica sobre a cidade, a sua baía e marina, o Porto Judeu, a Ribeirinha, os Ilhéus e, para Poente, desde a baía do Faial, passando pela baía de Villa Maria até à freguesia São Mateus da Calheta.

Foto: wikipedia_Autor Carlos Luis M C da Cruz

Castelo ou Forte de São Sebastião
Edificado no reinado de D. Sebastião (século XVI), localiza-se no porto de Pipas. Construído numa pequena colina, em pleno centro histórico da cidade, foi a primeira grande fortificação marítima na cidade.

Foto: wikipedia_Autor Carlos Luis M C da Cruz

Obelisco Alto da Memória
Localiza-se no cimo do Jardim Duque da Terceira, no centro histórico da cidade. Foi erigido no século XIX em honra de D. Pedro IV. De evidente simbologia maçónica, teve a sua pedra fundamental lançada a 3 de Março de 1845, estando concluído em 1856. Do seu miradouro tem-se uma panorâmica sobre a cidade, avistando-se também o Forte de São Sebastião, a Fortaleza de São João Baptista bem como o Monte Brasil.

Foto: wikipedia_Autor Carlos Luis M C da Cruz

Impérios
Os Impérios, são capelas populares dedicadas ao Divino Espírito Santo. Estes pequenos monumentos de cores fortes e de diferentes formas encontram-se ao longo de toda a ilha.


Igreja de Nossa Senhora da Conceição
Localiza-se no centro histórico da cidade, de estilo barroco, foi construída no séc. XVI.


Foto: wikipedia_Autor Carlos Luis M C da Cruz


Festas e Tradição
Uma das festas mais típicas e conhecidas é a festa do Espírito Santo. Estas festas do Espírito Santo são celebradas em todas as ilhas e remontam aos primeiros colonos, que pediam a protecção contra os desastres naturais.

Artesanato
Salientam-se as colchas de tear manual, os bordados em linho com motivos tradicionais e as rendas, as flores artificiais, os barretes de pastor típicos, os chinelos garridos, as violas de arame e as esculturas. A arte popular também engloba objectos esculpidos em dente e osso de baleia, chifre de bovino, cedro, barro e vime.

Uma cidade plena de beleza, história, monumentos, paisagens deslumbrantes, praias, Angra do Heroísmo tem muito para oferecer a quem a visita.

Fontes e Fotos: Wikipedia; Igespar; visitportugal; angra-do-heroismo.portais.ws; RotasTuristicas; outros

Foto: wikipedia_José Luís Ávila Silveira e Pedro Noronha e Costa

"Sem a cultura, e a liberdade relativa que ela pressupõe, a sociedade, por mais perfeita que seja, não passa de uma selva. É por isso que toda a criação autêntica é um dom para o futuro." (Albert Camus)

quarta-feira, 16 de fevereiro de 2011

Monsanto - A Aldeia de Pedra

Aldeia histórica de Portugal, Monsanto é construída em pedra granítica e é uma freguesia do concelho de Idanha-a-Nova, distrito de Castelo Branco, sendo conhecida como "a aldeia mais portuguesa de Portugal".


 Foto: wikipedia_Concierge.2c


Avista-se numa encosta escarpada, conhecida por o Cabeço de Monsanto (Mons Sanctus), cujo ponto mais alto do atinge os 758 metros. Do topo granítico do monte de Monsanto a paisagem é deslumbrante.


Foto:wikipedia_Concierge.2c


A presença humana neste local data desde o paleolítico. A arqueologia indica que o local foi habitado pelos romanos, no sopé do monte, no denominado campo de S. Lourenço. Também existem vestígios da passagem visigótica e árabe. É uma aldeia tranquila, cheia de recantos maravilhosos. A tradição, a paz e a beleza de Monsanto acompanham-nos em todos os caminhos possíveis de percorrer.


Foto: www.panoramio_ANGEL, EL ALFA III


No seu conjunto arquitectónico destacam-se algumas casas senhoriais brasonadas, e vários templos alguns dos quais já em ruínas, como a Capela de São Miguel em estilo românico.


Campanário e ruinas de S.Miguel
* Foto: Net

Monsanto é o resultado da interligação da natureza e do engenho dos homens.


* Foto: Net

A geografia do terreno e a mão do homem, deram origem a construções curiosas.


 Foto: www.radiomonsanto.pt


O aglomerado das casas na encosta, foi aproveitando o granito das pedras como chão ou paredes das casas e, em alguns casos, um bloco de pedra original dá forma ao telhado de telha, a razão pela qual se diz que é a casa de "uma só telha".


Estas casas originais deram origem à quadra:

“Nunca se sabe em Monsanto
Que as águias roçam com a asa
Se a casa nasce da rocha
Se a rocha nasce da casa".


 Foto:Wikipedia_Concierge.2C


A visitar:
■ Capela do Espírito Santo
Com características renascentistas foi mandada construir no século XVI.



A capela apresenta uma pequena torre sineira e está adossada a uma das portas da vila: o Arco de São Sebastião ou do Espírito Santo.


* Foto: Net
■ Igreja Matriz ou de São Salvador
Provavelmente construída no século XV. Alvo de reforma três séculos depois, a sua fachada ainda conserva elementos antigos, nomeadamente o portal românico. No seu interior podem ainda admirar-se imagens e altares muito bonitos, em especial o Altar-mor com um magnífico trabalho em talha dourada.


Foto: Wikipedia_Duca696

■ Igreja da Misericórdia
Datada do século XVI, serviu de igreja paroquial até à edificação da igreja matriz actual. Quando foi edificada, esta capela substituiu a capela de São Lázaro, antigo local de culto, hoje desaparecida. Apresenta um estilo renascentista e localiza-se no Largo do Pelourinho. No seu interior exibe três altares, uma imagem de São Pedro e um conjunto de imaginária sobre o ciclo da Paixão de Cristo. Exibe um nicho na sua fachada com Nossa Senhora e o menino nos braços. De cada lado possui duas pequenas janelas.




■ Torre do Lucano ou do Relógio
Esta antiga torre possui uma grande importância para os monsantinos. Considerada como o ex-libris da aldeia, servia de vigia no morro contíguo, pois dominava todo o horizonte circundante. 


Foto: www.trekearth.com_alive

Ostenta o símbolo que tornou Monsanto na “Aldeia Mais Portuguesa de Portugal”. Assim, a encimar esta construção existe a réplica do Galo de Prata, troféu obtido no concurso de 1938 da autoria de Abel Pereira da Silva.


 Foto: www.panoramio_ANGEL, EL ALFA III


■ Porta de Santo António
Foi mandada construir no século XVIII pelo Conde de Lippe a fim de preparar a defesa da aldeia para a Guerra dos Sete Anos. Esta porta possui uma guarita abandonada e tem a encimar um brasão de armas.


Foto: www.radiomonsanto.pt

■ Capela de Santo António
Construída no século XVI, esta Capela está encostada ao cemitério da aldeia. De estilo manuelino, exibe um portal com quatro arquivoltas.



■ Ruinas da Capela de S. Miguel
No alto da povoação, antes da entrada da cidadela do castelo, encontram-se as ruínas desta Capela. Templo românico em pedra granítica, datado do século XII, ela é indício de uma primitiva povoação - S. Miguel - e sobrepõe-se a um monumento que se supõe de culto a Marte e a outros deuses pagãos. É rodeada igualmente por sepulturas escavadas na rocha granítica (cemitério paleo-cristão).

Foto: www.panoramio_ANGEL, EL ALFA III

■ Castelo de monsanto
A edificação do castelo atribui-se aos Cavaleiros da Ordem do Templo sob as ordens de D. Gualdim Pais (Mestre da Ordem). Várias vezes mandado reconstruir por sucessivos monarcas, o castelo medieval em pedra granítica viria a sofrer um terrível acidente no século XIX, tendo sido foi parcialmente destruído, numa noite de Natal, pela explosão do paiol de munições, uma fatalidade à qual sobreviveram as duas torres, a do Peão, primitiva torre de vigia, e a de Menagem.

Foto: wikipedia_Concierge.2C

O castelo está ligado à tradição da principal celebração de Monsanto a Festa de Nossa Senhora do Castelo ou das Cruzes a 3 de Maio.


■ Igreja de Santa Maria do Castelo
Esta igreja foi reconstruída a partir de um anterior edifício religioso da Ordem do Templários. Em Maio é palco da Festa de Santa Cruz, de origem pagã, em memória do cerco castelhano a que a povoação resistiu. Nesta capela guarda-se a imagem de Nossa Senhora do Castelo.


Foto: wikipedia

■ Capela de S. Pedro de Vir-a-Corça
Situada no base do cabeço de Monsanto, é um templo de raiz românica, construído em granito, tendo sido ao seu redor, que se realizou a feira autorizada por D. Dinis em 1308. A Igreja foi construída no século XII ou XIII e tem o seu nome relacionado com a Lenda da Corça ou do Eremitão Amador que, segundo consta, se encontra sepultado junto do altar da capela juntamente com o seu discípulo.

No século XVI a edificação foi remodelada interiormente, tendo sido realizadas alterações nas colunas. Corresponde a uma capela românica de planta longitudinal, com o portal principal em arco pleno, encimado por rosácea. De destacar na fachada lateral doze pedras que funcionam como relógio do sol. De referir ainda que o seu campanário situa-se a alguns metros da capela sobre um penedo.


Onde Dormir
■ Casa da Gruta - Esta casa é a uma das mais típica e romântica de Monsanto, situada dentro de uma gruta.

* Foto: Net
■ Casa Leão - Casa brasonada, em pedra de granito, situada dentro das muralhas.

* Foto: Net
■ Pousada de Monsanto

* Foto: Net

Artesanato:

No seu artesanato é de salientar:

As bonecas “ Marafonas”, que simbolizam a Deusa da fertilidade, não têm olhos nem boca e colocam-se em cima da cama dos recém-casados para dar “sorte”.

* Foto: Net 

O adufe, um instrumento musical habitualmente tocado por mulheres.

* Foto: Net
Monsanto tem conseguido preservar as suas tradições e costumes populares, e encanta quem o visita pela sua beleza, pela sua história, pela sua originalidade e pela simpatia das suas gentes.


Wikipedia_Monica Andre

Vá visitar, Vale a pena.

Fontes e Fotos:” www.rotasturisticas.com”; “www.cm-idanhanova.pt/freguesias/monsanto.html”; “www.rotas.xl.pt/”; “www.portugalvirtual.pt/”;”wikipedia”;"www.radiomonsanto.pt/"; "http://www.portugalvirtual.pt/"; www.skyscrapercity.com/; olhares; outros.

* Fotos: Net
As fotografias sem indicação dos autores é porque não os consegui identificar. Se forem suas, por favor queiram contactar-me que colocarei imediatamente o seu nome, ou retiro-as se for esse o seu desejo. Não é de maneira nenhuma minha intenção quebrar direitos de autor.

Foto: www.portugalnotavel.com

Sempre que viajamos seja física ou virtualmente (através por exemplo da leitura), alargamos os nossos horizontes, pois vamos conhecer novos locais, novos costumes, novas realidades e gentes. Aumentamos o nosso conhecimento e enriquecemos interiormente.

quarta-feira, 2 de fevereiro de 2011

Oymyakon – O lugar habitado mais frio da terra


Hoje vamos divagar pelo Local habitado mais frio do nosso Planeta.

Foto: sometimes-interesting.com
 
Situada num vale no leste da Sibéria, no noroeste da Rússia, Oymyakon ou Oimekon é uma localidade junto ao Rio Indigirka, na República de Sakha. Fica a 800 quilómetros de distância de Yakutsk, uma das mais importantes cidades da Sibéria.

Foto: Spotonlists.com

É conhecida por ter o recorde de temperatura mais baixa numa localidade permanentemente habitada, com 71,2 graus Celsius, abaixo de zero, que ocorreu em Janeiro de 1926.

Monumento ao local habitado mais frio da Terra


Está localizado num planalto a cerca de 750 metros acima do nível do mar, onde o inverno dura um mínimo de nove meses.

Foto: pickchur.com

Estas condições meteorológicas extremas devem-se às cadeias de montanhas que a cercam e que a impedem de escapar das fortes massas de ar frio que cobre o vale.

Foto: pickchur.com

Curiosamente Oymyakon é também um dos lugares mais quentes do planeta, podendo no verão as temperaturas chegar a mais de 40 graus positivos.



No dialecto local Oymyakon significa “água que não congela”, provávelmente por causa da proximidade de fontes naturais de água quente subterrâneas perto da povoação, que impedem o rio de congelar durante o longo inverno, garantindo que a vida neste lugar seja possível.

Foto: genspot.com

O solo é permanentemente congelado o ano inteiro, é chamado de Permafrost.

Foto: sometimes-interesting.com

Nos piores dias de Inverno, o frio chega a 60 graus negativos. O solo começa a rachar e o ar estala. Ninguém sai de casa a não ser que seja absolutamente necessário.


Durante o inverno, há poucas horas de sol durante o dia, quando alguém precisa de sair para ir a uma loja, para a escola ou trabalho, necessita de usar muitos agasalhos, chapéus e longos casacos de pele.



Circular na estrada é uma aventura, no Inverno a neve é tão espessa que muitos camiões acabam literalmente enterrados na neve, e no Verão, a estrada fica por vezes um autêntico lamaçal, provocando o atolamento  de carros.


Foto: sometimes-interesting.com

A sua população vive uma vida bastante original e muito longe do conforto das grandes cidades.

Foto: genspot.com

Em Oymyakon as casas são de madeira e aquecidas com carvão e a vida é extremamente difícil, reflectindo-se até na sua alimentação. Só no curto período estival é possível obter alguns vegetais, ausentes dos hábitos alimentares durante todo o resto do ano.


A maioria dos habitantes tem poucos recursos económicos. Possuem alguns rebanhos de renas e dedicam-se à criação de cavalos que é uma das actividade tradicionais desta região.

 
Foto: globertraveling.com

Os habitantes alimentam-se de carne de cavalo, de rena e peixe (por furos no gelo). Quando os pescadores desta aldeia vão pescar nas águas cobertas de gelo, bastam 30 segundos fora de água para os peixes congelarem.

Foto: pickchur.com

Os animais desta área também se adaptaram ao clima, os cavalos de Oymyakon, os Yakut, são muito robustos, com pernas curtas e pele grossa. São usados como animais de carga e a sua carne é também muito popular entre os locais.

Foto: sometimes-interesting.com

Uma outra curiosidade desta população é que não é possível ir ao supermercado e comprar uma garrafa de leite em estado líquido pois este, só é vendido em blocos congelados de cor de mármore.


Os transportes são igualmente dificultados pelo facto de combustíveis como o gasóleo congelarem a -50ºC (-58ºF). A escola encerra quando as temperaturas se situam abaixo dos -52ºC.


Foto: genspot.com
 
A tinta das esferográficas congela habitualmente e todo o equipamento electrónico apresenta comportamento bizarro em função das diferentes reacções de dilatação e contracção dos metais a temperaturas extremamente baixas.


Apesar das temperaturas extremas, a região de Oymyakon tem belezas naturais ímpares: montanhas de cume nevado, vales, rios e uma vida selvagem exuberante (é habitada por aves de grande porte, ursos, leões-marinhos e alces).

Fontes e Fotos: Wikipedia; email recebido; www.amusingplanet.com/; pickchur.com; sometimes-interesting.com; globertraveling.com; 2patwordpress.com; Spotonlists.com;  genspot.com; outros


* Fotos: Net
As fotografias sem indicação dos autores é porque não os consegui identificar. Se forem suas, por favor queiram contactar-me que colocarei imediatamente o seu nome, ou retiro-as se for esse o seu desejo. Não é de maneira nenhuma minha intenção quebrar direitos de autor.

Photographs without the authors’ names are because I could not identify them. If they are yours, please contact me and I will put immediately your name, or remove them, if that is your wish. It is not my intention to break authors rights.

Foto: 2patwordpress.com

"Viajar! Perder países! Ser outro a cada dia." (Fernando Pessoa)