quarta-feira, 27 de julho de 2011

Na rota de Templos Budistas


Hoje vamos viajar até ao oriente, na rota de Templos e mosteiros budistas, de paisagens deslumbrantes do místico e diferente país - Myanmar.


Myanmar ou Birmânia, oficialmente República da União de Myanmar, é um país do sul da Ásia continental limitado ao norte e nordeste pela China, a leste pelo Laos, a sudeste pela Tailândia, ao sul pelo Mar de Andamão e pelo Canal do Coco, a oeste pelo Golfo de Bengala e a noroeste por Bangladesh e pela Índia.



Tem uma vasta costa que rodeia uma grande parte do país com uma extensão de 3.000 km. O interior do país está marcado por grandes rios e extensas planícies. As montanhas levantam-se ao leste, ao longo da fronteira com Tailândia e também em direcção ao norte, onde se pode alcançar o extremo leste dos Himalaias. Localiza-se na região asiática das monções, o que faz com que suas regiões recebam mais de 5 000 mm anuais de chuva. Mais de 49% do território do país são cobertos por florestas. Myanmar apresenta grande diversidade étnica. A cultura dominante é principalmente budista e birmane. Numa vila birmanesa tradicional, o mosteiro é o centro da vida cultural e os monges são venerados e apoiados pelos leigos. Todos os meninos de famílias budistas devem tornar-se noviços e monges, mesmo que por pouco tempo.



A sua capital é NayPyiTaw e está situada nas margens do rio Hlaing a 30 quilómetros da costa. As suas ruas largas ainda conservam a arquitectura das suas edificações características da colonização britânica.

Uppatasanti Pagoda



Divagando por Templos e Mosteiros

■ YANGON
Yangon é uma amálgama de influências birmanesas, chinesas e britânicas. É banhada pelos Rios Yagon e Bago, uma cidade com muitos jardins, onde sobressai o dourado dos mais belos templos e pagodes.

- Pagode Shwedagon, um dos mais belos e sagrados monumentos de Yangon. Reza a lenda que foi edificado de há mais de 2500 anos, no tempo de Siddharta Gautama, guardando 6 dos seus cabelos como relíquias. É impressionante a recoberta de lâminas de ouro com que se decorou a construção, Shwe significa dourado, tem uma valiosa colecção de jóias e pedras preciosas que pertenceram a reis e nobres do país. É revestido por 60 toneladas de ouro, 5500 diamantes, 2000 pedras preciosas. A beleza, localização e requinte dos seus dourados e pedras preciosas fazem do Pagode de Shwedagon um dos mais belos monumentos da Birmânia e do Mundo Budista.



- Pagode de Sule , em forma octogonal e localizado em pleno centro da cidade. Segundo a lenda, a primeira construção data de há mais de dois mil anos, tendo sido construída para guardar como relíquia, um cabelo de Buda, que este ofereceu a dois mercadores birmaneses.

- Pagode de Chaukhtatgyi – uma construção de seis andares que aloja um enorme Buda reclinado, mandado erigir nos finais do século XIX por U Hpo That, um birmanês movido pelo desejo de dotar o seu país com um dos maiores e mais belos edifícios de devoção budista.

■ LAGO INLE
O Lago Inle situa-se a nordeste de Myanmar , rodeado de colinas e onde florescem as orquídeas. É admirável a beleza com que se deixa flutuar em suas águas nenúfares e jacintos flutuantes. Nas suas margens vivem os Intha, "Homens do Lago", que cultivam vegetais sobre ilhas flutuantes e remam com as pernas. Um espetáculo impressionante e cheio de misticismo.



A população Intha tem idealizado uma forma original de cultivo, que aproveita a vegetação lacustre para criar verdadeiros hortos flutuantes sobre a água.


Na aldeia de Nyaung Shwe pode-se admirar o Pagode de Phaungdaw Oo, o pagode mais venerado no lago.




■ MANDALAY
A cidade foi fundada em 1827 pelo Rei Mindon como capital do que viria a ser o último Reino Birmanês até à sua conquista pelo Império Britânico em 1886.

De salientar:
- Pagodes de Mahamuni



- Kuthodaw – Pagode onde se encontra o maior livro do mundo.

- Mosteiro de Shwenandaw (Golden Palace) - o melhor da escultura em madeira.

- Pagode Kuthodaw , mandado construir pelo Rei Mindon em 1860, nas encostas do Monte Mandalay rodeado por 729 pequenos templos com inscrições das escrituras budistas em pedras de mármore.



Imperdível uma subida à colina de Mandalay para assistir ao pôr-do-sol sobre a cidade.

■ AMAPURA
Em Amapura, antiga capital, destaque para o maior mosteiro budista birmanês – Mahargandaryone, – uma típica escola monástica com os seus milhares de jovens monges, situado nas margens do Lago Taunghaman.
De salientar também a ponte U Bein sob o lago Thaugthaman, designada como a mais longa ponte de madeira do mundo.



■ SAGAING e MONIWA
Sagaing é o Centro espiritual do país, um lugar calmo, sereno e de meditação que, com as suas mais de 500 stupas, templos e mosteiros atrai milhares de monges budistas de todos os cantos do país.



Entre os locais de maior interesse a visitar destacam-se:

- U Min Thonze Pagoda



- Pagodes de Soonooponyashin, Uminthonese

- Kaunghmundaw

- Pagodes de Thanbodday em Monywa



- grutas de Po Win Daung



■ BAGAN
Fundada no século II, foi a capital do primeiro império birmanês, é hoje uma das mais importantes e sagradas cidades do Sudeste Asiático. Conheceu o seu período mais florescente dos séc. XI ao XIII, altura em que foram construídos milhares de templos budistas, vindo a conhecer o seu declínio com a destruição e saque das invasões mongóis em 1287. É hoje um dos mais importantes centros arqueológicos da Ásia.



A visitar entre muitos:
- Templo de Schwezigon, um dos mais venerados pelas relíquias de Buda que aqui se encontram.



- Templo Htilominlo - contém as melhores esculturas de “ Pilastra”

- Templo Gubyaukgyi – Onde se encontram as melhores pinturas de murais do século XI.

- Templo de Ananda - Obra prima da arquitetura Mon.



- Templo-Caverna Kyanzittha Umin

■ MONTE POPA
O Mount Popa é um vulcão extinto que é conhecido como "Casa dos Espíritos", sendo um destino de peregrinação por albergar as estátuas dos 37 Nats (espíritos). Ao longo da enorme escadaria que leva ao cume, encontram-se altares e estátuas que são alvo da fé dos inúmeros peregrinos que sobem até ao topo onde se encontra um complexo de mosteiros, stupas e templos.
No alto da falésia do Templo de Mt.Popa encontra-se o Mosteiro de Taung Kalat e desfruta-se de uma paisagem maravilhosa.

- Mosteiro de Taung Kalat



Um país com paisagens deslumbrantes, vegetação luxuriante, templos, pagodes e mosteiros únicos, um país exotico.

Fontes: Wikipedia; http://www.portalsaofrancisco.com; http://www.vaviagens.com/; http://www.almadeviajante.com/; Myanmar Travel Net; Trekearth; outros

* Fotos: Net
As fotografias sem indicação dos autores é porque não os consegui identificar. Se forem suas, por favor queiram contactar-me que colocarei imediatamente o seu nome, ou retiro-as se for esse o seu desejo. Não é de maneira nenhuma minha intenção quebrar direitos de autor.
Photographs without the authors’ names are because I could not identify them. If they are yours, please contact me and I will put immediately your name, or remove them, if that is your wish. It is not my intention to break authors rights.



Viajar é alargar os nossos horizontes, é conhecer novas culturas, novos locais, paraísos perdidos que nos fascinam e encantam e se não o podemos fazer fisicamente, podemos sempre fazê-lo através da fotografia e da leitura, essa será a nossa viajem virtual!

quarta-feira, 20 de julho de 2011

Giethoorn a cidade sem ruas


Hoje vamos navegar pela linda e romântica cidade de Giethoorn, conhecida na Holanda como a “Veneza do Norte” ou “Veneza Holandesa”.




Giethoorn fica na província de Overijssel no Norte da Holanda. Situada no meio da reserva natural de Wieden e nos arredores do Parque Nacional Werribben, abriga a maior área de formação de musgo do nordeste europeu.




É famosa por ter no lugar das tradicionais ruas, canais lindíssimos e várias pontes a atravessá-los.




É uma das cidades nos Países Baixos onde a circulação de carros foi proibida. Na zona mais antiga de Giethoorn, apenas se pode circular de bicicleta ou a pé, e todo o transporte é feito sobre a água dos vários canais da cidade.




Ao longo dos canais existem várias lojas, restaurantes, artesanato local, principalmente a tradicional cerâmica holandesa e casas encantadoras com os seus telhados de colmo.




Os canais são utilizados quer para a locomoção de pessoas quer para o transporte de todo tipo de mercadorias, através dos punters barcos tipícos, tjaskers e outras embarcações.




No inverno a neve cobre as casas e os canais ficam gelados, transformando-os em grandes espaços onde se pode patinar.




Longe dos prédios altos e do “cimento” por todo o lado, com uma arquitectura belíssima em total harmonia com a natureza, onde a tranquilidade e serenidade paira no ar, parece uma cidade de sonho.

Fontes e Fotos: wikipedia; http://www.hollandisbeautiful.com/giethoorn.php; outros net.


* Fotos: Net
As fotografias sem indicação dos autores é porque não os consegui identificar. Se forem suas, por favor queiram contactar-me que colocarei imediatamente o seu nome, ou retiro-as se for esse o seu desejo. Não é de maneira nenhuma minha intenção quebrar direitos de autor.

Photographs without the authors’ names are because I could not identify them. If they are yours, please contact me and I will put immediately your name, or remove them, if that is your wish. It is not my intention to break authors rights.




“Aquilo a que chamamos felicidade consiste na harmonia e na serenidade, na consciência de uma finalidade, numa orientação positiva, convencida e decidida do espírito, ou seja na paz da alma.” Thomas Mann

sexta-feira, 15 de julho de 2011

Arte com citrinos em Menton


Todos os anos realiza-se no final do Inverno em Menton na França, o grande Festival do Limão (La Fête du Citron).




A originalidade deste festival, reside na matéria prima utilizada, Limões e Laranjas. Milhares de citrinos são usados para construir diferentes mosaicos e esculturas muito criativas neste grande festival. Chegam a fazer-se esculturas com 145 toneladas de laranjas e limões.




A história deste festival remonta a 1929 altura em que Menton era o principal produtor de limões da Europa. Nesse ano o dono de um hotel teve a ideia de organizar uma exposição de flores e frutas cítricas nos jardins do hotel Riviera. O sucesso do evento foi tão grande, que no ano seguinte, o desfile fez-se nas ruas com carruagens de arbustos repletos de laranjas e limões e lindas jovens a acompanhar os carros.




O município desejando desenvolver o turismo, procurou dar a esta festa de carnaval um ênfase muito especial e criou a Festa do Limão em 1934. Dois anos mais tarde realiza-se a primeira exposição de flores e citrinos nos jardins de Biovès.




François Ferrié foi o encarregado de conceber os desenhos dos carros com laranjas e limões, bem como os motivos dos jardins. O sucesso desta festa confirmou-se ano após ano.




O festival de limões de Menton é hoje conhecido no mundo inteiro, atraindo todos os anos milhares de visitantes para apreciar e viver esta grande festa. Envolve muitos profissionais para a sua concepção e muitas toneladas de citrinos.




Nos jardins de Biovès, o desfile dos carros alegóricos, os corsos noturnos, os encantadores motivos concebidos com citrinos e flores, encantam os visitantes. Todos os anos o festival tem um tema diferente. Este ano o tema da 78ª edição da Festa do Limão, foram as “As grandes Civilizações”




A Festa do Limão é um evento único no mundo, mas paralelamente a este festival, é possível apreciar em Menton, diversos espectáculos , concertos, festival de orquídeas ou ainda visitar a feira de artesanato, onde se pode descobrir e apreciar os produtos regionais como geleias, licores, sabonetes, ou mesmo perfumes.




O desperdício de frutas com esta festa é pouco, pois as frutas não são danificadas na montagem das esculturas e depois do evento, todas essas frutas são transformadas em geleia, nas diversas fábricas artesanais da cidade. As geleias de Menton, são distribuídas e apreciadas em toda a França.

A Festa do Limão é um evento único no mundo que cativa quem a visita!

Fontes: http://www.france.fr/; www.feteducitron.com; www.tourisme-menton; http://www.fete-du-citron.com/; http://www.cote.azur.fr/;


* Fotos: Net
As fotografias sem indicação dos autores é porque não os consegui identificar. Se forem suas, por favor queiram contactar-me que colocarei imediatamente o seu nome, ou retiro-as se for esse o seu desejo. Não é de maneira nenhuma minha intenção quebrar direitos de autor.

Photographs without the authors’ names are because I could not identify them. If they are yours, please contact me and I will put immediately your name, or remove them, if that is your wish. It is not my intention to break authors rights.




"A arte vence a monotonia das coisas assim como a esperança vence a monotonia dos dias."

(Gilbert Keith Chesterton)

terça-feira, 12 de julho de 2011

SAGRES – A Vila mais ocidental da Europa


Sagres é a vila mais ocidental da Europa e é um município de Vila do Bispo, localizada no distrito de Faro, no Algarve.



Sagres foi mundialmente conhecida na Idade Média pelo seu importante papel nas "Descobertas Portuguesas". Nas suas origens a principal função da cidade era dar abrigo aos navegantes nas enseadas de Sagres e de Beliche quando o mar fazia impossível a sua passagem pelo Cabo de São Vicente.

Foto: tomxx.net.07

Entre a ponta de Sagres e a ponta da Atalaia forma-se a enseada de Sagres, enseada esta que protegeu durante largos séculos os navios dos ventos, que ai se mantinham à espera condições favoráveis para a navegação. É um paraíso natural, de grande importância estratégica e histórica, tendo constituído um ponto de referência essencial na geografia europeia.

Foto: www.destinomundo.pt

■ Praias
Sagres está rodeada de praias encantadoras, mas o mar é um pouco mais frio e perigoso do que na costa sul algarvia. De referir as praias de Telheiro, Ponta Ruiva, Beliche, Tonel (excelente para os praticantes de surf) e Martinhal, onde há uma escola de desportos naúticos para esqui aquático, surf e windsurf.

Foto: wikipedia_Jovoboro

■ Reserva Biogenética de Sagres
A zona do Cabo de S. Vicente, com uma especificidade muito própria devido à sua posição geográfica, é uma área protegida, que foi considerada Reserva Biogenética pelo Conselho da Europa em 1988, afim de salvaguardar a grande biodiversidade de espécies e habitats naturais, muitos deles exclusivos a nível mundial.

■ A Fortaleza de Sagres
Foi mandada construir no século XV pelo infante D. Henrique, com fins defensivos. Sofreu diferentes reconstruções no século XVI, XII e XIII consequência dos ataques de Francis Drake, pirata inglês, e do terramoto do ano de 1755. No seu interior destaca-se a Igreja de Nossa Senhora da Graça que possui uma fachada data do século XVI, a famosa Rosa dos Ventos e várias peças de artilharia utilizadas para defender as praias de Tonel e Mareta. Na parede sul das suas muralhas foi colocada no ano de 1840 uma lápide em memória do infante D. Henrique com várias inscrições em português e latim.



■ Cabo do São Vicente
Diziam na Antiguidade (século VI a. C.) que este lugar era dedicado a Saturno. Varrido pelo vento, situa-se no extremo sudoeste da Europa. Os romanos chamavam-lhe o Promontório Sacro e, na Idade Média, acreditava-se que era o fim do Mundo. Hoje, a paisagem ainda nos parece impressionante, com grandes penhascos enfrentando o Atlântico onde as ondas cavaram cavernas profundas.

Foto: wikipedia_Dr.G.Schmitz

■ A Ermida da Nossa Senhora do Guadalupe
Situa-se entre as freguesias de entre Budens e a Raposeira. Num estilo romano-gótico, presume-se que remonte ao século XIII, de eventual origem templária. Durante o século XV a Ermida foi integrada na Quinta da Raposeira, propriedade do Infante D. Henrique. Conta a lenda, que o Infante D. Henrique orava na Ermida, pedindo a Deus que iluminasse o caminho aos seus navegadores.

Foto: www.guiadacidade.pt

■ Torre da Aspa
A Torre de Aspa pertencia a uma antiga rede de vigilância que tinha por finalidade controlar a navegação e os possíveis ataques vindos do mar. Localiza-se próximo da praia do Castelejo, no local onde se erguia a torre foi colocado o Marco Geodésico de Torre de Aspa, que assinala o ponto mais alto da Costa Algarvia, 157 metros de altura. A vista panorâmica é incrível.

Foto:www.guiadacidade.pt

■ Ruínas Lusitano-Romanas de Boca do Rio
As ruínas Romanas da Boca do Rio, situam-se junto à foz da Ribeira de Budens e foram postas a descoberto após o sismo de 1755. Este complexo, constituía uma villa romana que integra edifícios com frescos e mosaicos, balneários, armazéns e ainda uma fábrica de conservas e salga de peixe. Pensa-se que aqui também existiria um porto. Ao longo das escavações foram recolhidas moedas de Nero e Honório, um tesouro com mais de 1000 numismas, uma estatueta de Hera em bronze e um cúpido alado.

Foto: www.igespar.pt

Onde Dormir
Pousada do Infante - Sagres, numa encosta sobre o imenso Oceano Atlântico.


Hotel da Baleeira, Baleeira, Sagres
Aparthotel Navigator, Rua Infante D. Henrique, Sagres
Hotel Memmo Baleeira, Baleeira, Sagres
Hotel Mareta View - Boutique Bed & Breakfast, Sagres
Parque de Campismo de Sagres, Orbitur

Apartamentos:
http://www.classificados.pt/
http://www.mediaferias.com/
http://www.villanao.pt/
http://www.homelidays.com/
http://www.iha.pt/

O que comer
A gastronomia é baseada e inspirada no mar com uma grande variedade de peixes e mariscos frescos. Nas carnes pode-se referir a carne de porco, o coelho e a lebre. Os doces regionais têm como ingredientes base a amêndoa, o figo, a gila e os ovos, sendo as bebidas características a aguardente de medronho e a aguardente de figo.

Festas e Romarias
13, 14 e 15 Agosto - Festas de Sagres - Padroeira Nossa Senhora da Graça.


Foto: net

Sagres é um local onde se cruza o passado e o presente. Paisagens deslumbrantes e um vasto património histórico tornam esta vila muito especial.

Vá visitar, Vale a pena.

Fontes: Wikipedia; http://www.portugalvirtual.pt/; http://www.sagres.net/; http://www.algarve-portal.com/; http://www.igespar.pt/; http://www.cm-viladobispo.pt/;

 Foto: wikipedia_joaomartinho63

Sempre que viajamos seja física ou virtualmente (através por exemplo da leitura), alargamos os nossos horizontes, pois vamos conhecer novos locais, novos costumes, novas realidades e gentes. Aumentamos o nosso conhecimento e enriquecemos interiormente.

sábado, 9 de julho de 2011

Praias de Sonho


As férias estão a chegar, por isso hoje deixo mais uma viagem virtual desta vez por Praias de Sonho. Vamos divagar e sentir a brisa do mar, apreciar lindas paisagens e deixar fluir o nosso pensamento até para lá do horizonte, acompanhados de pensamentos de Dalai Lama e Fernando Pessoa.

“Para viajar basta existir.” (Fernando Pessoa)




Tulum Beach - Mexico
"A arte de escutar é como uma luz que dissipa a escuridão da ignorância." ( Dalai Lama)



Mnemba Beach - Tanzania
"Tenho pensamentos que, se pudesse revelá-los e fazê-los viver, acrescentariam nova luminosidade às estrelas, nova beleza ao mundo e maior amor ao coração dos homens." (Fernando Pessoa)



Lanikai Beach - Hawaii
"Seja a mudança que você quer ver no mundo." (Dalai Lama)



Seychelles
"Tudo vale a pena quando a alma não é pequena."(Fernando Pessoa)



Boracay - Filipinas
"Pouco importa o julgamento dos outros.Os seres são tão contraditórios que é impossivel atender às suas demandas, satisfazê-los. Tenha em mente simplesmente ser autêntico e verdadeiro..." (Dalai Lama)



Maldivas
"Tenho em mim todos os sonhos do mundo."(Fernando Pessoa)



Anguilla – Caraibas
"Viva uma vida boa e honrada. Assim, quando você ficar mais velho e pensar no passado, poderá obter prazer uma segunda vez." (Dalai Lama)



Bora Bora Island - Tahiti
"As vezes ouço passar o vento; e só de ouvir o vento passar, vale a pena ter nascido." (Fernando Pessoa)

Fontes: Pixdaus, outros



"Só existe dois dias no ano que nada pode ser feito. Um se chama ontem e o outro se chama amanhã, portanto hoje é o dia certo para amar, acreditar, fazer e principalmente viver." (Dalai Lama)