segunda-feira, 29 de agosto de 2011

Passeio pela Praia da Rocha


Amigos estive de férias novamente na minha praia de eleição, a PRAIA da ROCHA. Deixo aqui algumas fotografias e um cheirinho a mar do Algarve.


Eu e a minha familia adoramos descansar neste local lindo. De Verão é realmente muito movimentado mas para nós, nem isso lhe tira todo o encanto. O areal é enorme mas os tapetes de madeira facilitam a caminhada. Ao longo de toda a praia existe um passadiço de madeira, com bancos para podermos parar e descansar e vários restaurantes, onde se pode apreciar a gastronomia algarvia, ou apenas beber algo fresquinho apreciando o mar.


O nosso apartamento fica na Avenida Tomás Cabreira, a avenida paralela à praia e onde existe tudo o que necessitamos. Pode-se comer caro ou barato, comprar artigos dispendiosos ou a preços acessíveis, enfim há de tudo para todas as bolsas.


Este ano a Diana saltitou entre a Praia da Rocha e Albufeira, local onde tem uma grande amiga, a Cheila e vários outros amigos e claro está, muitas festinhas. Pouco tempo esteve connosco. À noite é habitual irmos dar uma volta pela avenida, super movimentada durante os meses de verão, mas sempre muito agradável. E para terminar em beleza o dia nada melhor que uma bebidinha. Só foi pena estarmos todos juntos tão pouco tempo, mas os filhos crescem e voam para outras paragens!

Os momentos de felicidade são breves por isso há que os eternizar na nossa memória, para mais tarde recordar.


A minha casa fica em frente à praia o que nos permite sem nenhuma dificuldade ficar lá até o sol se pôr. A praia começa a ficar deserta, as gaivotas começam a regressar ao areal e o dia finalisa com suavidade.


De manhã, sempre que posso, gosto de dormir até um pouco mais tarde, principalmente se estou de férias e me deito muito tarde, mas a meio da semana decidi levantar-me mais cedo do que é habitual. Os miúdos ficaram a dormir e eu e o meu marido fomos passear à beira mar, para o lado contrário da nossa casa, ou seja para a zona poente da Rocha - Praia dos Careanos.


Aqui as praias têm um areal mais pequeno, mas muitas rochas o que as torna muito especiais.


A bandeira lá no alto a flutuar ao vento, diz-nos que são praias que cumprem todos os requisitos de qualidade e segurança exigidos, para poderem hastear a bandeira azul.


É uma delicia passear de manhãzinha pela praia, observar a imensidão do mar e ir apreciando toda a beleza dos enormes rochedos que aqui e acolá surgem.





A maré estava alta e não deu para contornar o grande rochedo que divide as praias, por isso tivemos de passar por um dos buracos existentes debaixo das rochas.


Chegamos à entrada da praia em frente ao hotel Jupiter. Deixámos a praia para mais tarde e fomos comprar pão quentinho para o nosso pequeno almoço.


Sabe muito bem comer e apreciar o mar da varanda do nosso apartamento.


Terminaram as férias, há que voltar à rotina habitual, talvez ainda este ano seja possível voltar, todos os anos digo o mesmo e depois surgem sempre imprevistos que não o permitem. Vamos ver, talvez este ano consiga, quem sabe!

quarta-feira, 24 de agosto de 2011

Na rota dos castelos da Alemanha


Os castelos sempre me fascinaram pois são marcos da civilização de uma região, com jardins extraordinários ou paisagens deslumbrantes, para além do património histórico e arquitectónico que representam, eles são fontes de histórias, lendas e mistérios.



Já passeamos pela rota de alguns dos mais encantadores castelos da Escócia, Hoje vamos Divagar por surpreendentes e maravilhosos Castelos da Alemanha.





Castelo Neuschwanstein
O castelo de Neuschwanstein situa-se perto das cidades de Hohenschwangau e Füssen, no sudoeste da Baviera, a escassas dezenas de quilómetros da fronteira com a Áustria. Foi construído na segunda metade do século XIX, entre 1869-1886, pelo rei da Baviera, Ludwig II, inspirado na obra de seu amigo e protegido, o grande compositor Richard Wagner. A arquitectura do castelo possui um estilo fantástico, o qual serviu de inspiração ao "Castelo da Bela Adormecida", símbolo dos estúdios Disney.




Castelo Lichtenstein
Este castelo também conhecido como "Castelo do Conto de Fadas", localiza-se sobre um penhasco nas montanhas suábias próximo a Honau, em Baden-Württemberg. A sua primitiva construção remonta a cerca de 1200, destruído durante invasões e guerras, caiu em ruínas. Em 1802 as ruínas do antigo castelo passaram para o rei Friedrich I de Württemberg que as fez demolir, erguendo em seu lugar um Pavilhão de Caça, que finalmente foi adquirido pelo duque Wilhelm I de Urach. A actual construção foi erguida entre os anos de 1840 e 1842 por iniciativa de Wilhelm I, nspirado pelo livro do poeta e romancista alemão, Wilhelm Hauff.




Castelo Drachenburg
O Castelo Drachenburg (Castelo do Dragão) fica no alto de uma montanha, rodeado pelas colinas conhecidas como Siebengebirge (As Setes Montanhas). Uma destas colinas, A Rocha do Dragão (Drachenfels) guarda uma lenda germânica. Dizem que ali, Siegfried, herói da lenda dos Nibelungos, lutou com um terrível dragão.




Castelo Schwerin
Fica situado na cidade de Schwerin, capital de Mecklemburgo-Pomerânia Ocidental. Foi construído em 1843 a 1857 e é chamado como o "Neuschwanstein de Mecklenburg". Grande e sunptuoso, as suas salas e salões são ricamente decorados. Desde 1990 é sede do parlamento do estado.




Castelo de Katz
Localiza na cidade de Sankt Goarshausen, Estado de Renânia-Palatinado. Inicialmente o edifício tinha o nome de Burg Neukatzenelnbogen (Castelo Neukatzenelnbogen), mas a linguagem popular acabou por fazer a contracção desse termo, passando a ser conhecido simplesmente como Burg Katz. Foi construído entre 1360 e 1371 pelos condes de Katzenelnbogen, ergue-se em posição dominante sobre a cidade. Tendo sido bombardeado em 1806, foi reconstruído entre 1896 e 1898. Actualmente, é propriedade privada e não está aberto ao público. Desde 2002, está classificado pela UNESCO como Património da Humanidade, incluído no sítio Vale do Alto Médio Reno.




Castelo Nassau
Este castelo foi a sede original da Casa de Nassau em Nassau, na Renânia-Palatinado. As ruínas do castelo estão situadas sobre uma rocha aflorante de cerca de 120 metros acima do rio Lahn. A Casa de Nassau foi uma dinastia aristocrática cujos descendentes estão entre os atuais governantes dos Países Baixos e do Luxemburgo. O castelo foi fundado por volta de 1100 pelo conde Dudo-Henry de Laurenburg e Nassau, o fundador da Casa de Nassau.




Castelo de Marksburg
Situa-se junto ao rio Reno, é um castelo localizado na cidade de Braubach, em Renânia-Palatinado. É o único castelo medieval do Médio Reno que nunca foi destruído. É um dos principais sítios do Património Mundial da UNESCO. O castelo foi construído para proteger a cidade de Braubach e para reforçar as facilidades aduaneiras. Foi construído aproximadamente em 1117 e em 1231 foi mencionada pela primeira vez. Em 1283 o Conde Eberhard de Katzenelnbogen comprou o castelo.




Castelo Hohenzollern
É um palácio fortificado situado a cerca de 50 km de Estugarda, entre as cidades de Hechingen e Bisingen, no coração do Jura suabo. Foi a residência dos Condes suabos a partir da primeira metade do século XI. A Família Hohenzollern chegou ao poder durante a Idade Média, tendo governado a Prússia, Brandemburgo e o Império Alemão até ao final da Primeira Guerra Mundial. A vista lá de cima é magnifica.




Fortaleza de Marienberg
A Festung Marienberg (Fortaleza de Marienberg), constituí um marco proeminente no Rio Meno em Würzburg. O edifício teve a sua origem em tempos antigos como um forte. Depois de Gustavo II Adolfo da Suécia conquistar a área, em 1631, o castelo foi reconstruido. Serviu de residência aos Príncipes-Bispos da cidade durante quase cinco séculos. Actualmente funciona como museu e parque.




Castelo de Wartburg
O Wartburg é um castelo da Turíngia, situado numa colina sobre Eisenach, no extremo noroeste das florestas daquele estado alemão, onde se ergue a 411 metros acima do nível médio do mar. Foi fundado por volta de 1067 por Ludwig der Springer e está classificado, desde 1999, como Património da Humanidade como um "Monumento Excepcional do Período Feudal na Europa Central", estando ainda ligado a "Valores Culturais de Importância Universal".




Castelo de Stahleck
Localiza-se em Bacharach, Renânia-Palatinado. Este castelo remonta ao século XII, erguido por ordens do arcebispo de Colónia. Destruído no fim do século XVII, foi reconstruído no início do século XX. Atualmente encontra-se requalificado como um albergue. Dos seus muros é possível ter uma vista deslumbrante do rio Reno, no vale do Lorelei.




Castelo de Hohenschwangau
O Schloss Hohenschwangau ( Castelo do Grande Condado do Cisne) foi a residência de infância do Rei Luís II da Baviera, tendo sido construído pelo seu pai, o Rei Maximiliano II da Baviera. Fica localizado na aldeia alemã de Schwangau, próximo da cidade de Füssen, parte do distrito de Ostallgäu, no sudoeste da Baviera, muito próximo da fronteira com a Áustria. Hohenschwangau foi construído sobre os restos da fortaleza Schwanstein, a qual é mencionada pela primeira vez em registos históricos datados do século XII.




Castelos, edifícios incríveis situados muitas vezes no cimo de altas montanhas, em cenários deslumbrantes, que nos transportam ao passado e nos contam histórias de outros tempos.

Fontes: Wikipedia. http://www.alemanhaporquenao.com/, outros.


* Fotos: Net
As fotografias sem indicação dos autores é porque não os consegui identificar. Se forem suas, por favor queiram contactar-me que colocarei imediatamente o seu nome, ou retiro-as se for esse o seu desejo. Não é de maneira nenhuma minha intenção quebrar direitos de autor.

Photographs without the authors’ names are because I could not identify them. If they are yours, please contact me and I will put immediately your name, or remove them, if that is your wish. It is not my intention to break authors rights.




Mesmo não sendo possível fazer uma viagem física, nada nos impede de conhecer novos locais, novos costumes, desde paisagens de sonho a castelos encantados, tudo é possível se abrirmos a nossa alma e deixarmos o nosso espírito divagar através de fotografias, pois estas conseguiram fixar para sempre aquele momento ou aquele local, fazemos assim uma viagem virtual. Por isso gosto tanto de fotografia!

quarta-feira, 17 de agosto de 2011

Belmonte


Portugal tem localidades com paisagens lindíssimas e um património histórico fascinante. Em Junho fui até à região da Serra da Estrela e fomos visitar Belmonte, fiquei encantada. Hoje levo-os comigo a visitar esta histórica Vila .


A vila de Belmonte situa-se no Distrito de Castelo Branco, no panorâmico Monte da Esperança (antigos Montes Crestados). A história da vila remonta ao século XII, quando o concelho municipal recebeu foral de D. Sancho I em 1199. Dado se tratar de uma zona de fronteira com o Reino de Leão, iniciou-se nessa altura a construção de um reduto fortificado que nos finais do século XIII, a pedido do Bispo de Coimbra, a cujo senhorio pertencia, é transformado em castelo. Aqui nasceu o filho de Fernão Cabral, alcaide-mor de Belmonte, Pedro Álvares Cabral que em 1500, comandou a 2ª. Armada à Índia e durante a sua missão descobriu o Brasil.


Cuidada, limpa e com ruas que nos fazem lembrar outros tempos, dá prazer passear pelo seu centro histórico e ir apreciando cada recanto.


Do Património edificado em Belmonte saliento:

■ Castelo de Belmonte
Em posição dominante sobre uma elevação à margem esquerda do rio Zêzere, este castelo medieval tem a sua história ligada à dos descobrimentos portugueses e à do Brasil, uma vez que os seus Alcaides pertenciam à família do navegador Pedro Álvares Cabral. É formado pela Torre de Menagem, vestígios da antiga alcaidaría (Paço dos Cabrais) e um moderno anfiteatro ao ar livre, rodeado por imponentes muralhas.


Da lindíssima janela Manuelina a vista é deslumbrante e pode-se contemplar a Serra da Estrela em toda a sua extensão.


■ Capelas de St. António e do Calvário de Belmonte
Na capela de Santo António que se pensa ser a mais antiga (séc. XI/XVII), encontra-se um brasão com as armas das famílias Queiroz, Gouveia e Cabral. A Capela do Calvário data do século XIX.


Á direita das capelas encontra-se a cruz de madeira de Pau Santo do Brasil (réplica da que foi mandada levantar por Cabral na 1ª missa celebrada no Brasil), oferecida nos anos 50 pelo presidente brasileiro Kubichek de Oliveira.


■ Igreja de S. Tiago
Templo românico do século XIII, foi sofrendo alterações ao longo dos tempos. No século XIV é construída a Capela de Nossa Senhora da Piedade. O altar lateral, também conhecido por capela de N.ª Sr.ª da Piedade, constitui uma preciosa peça gótica com capitéis finamente trabalhados, e onde se guarda o túmulo de Maria Gil Cabral, fundadora da capela nos finais do séc. XIV.


■ Panteão dos Cabrais e Torre Sineira
Em finais do século XV é anexada à Igreja de São Tiago o Panteão dos Cabrais. Restaurado no século XVII, encontra-se lá o túmulo com os restos mortais de Pedro Álvares Cabral, bem como de outros elementos desta ilustre família. No século XVIII, a sua fachada é remodelada e a torre sineira é erigida.


■ Museu Judaico de Belmonte
Foi inaugurado a 17 de Abril de 2005. Retrata a longa história da comunidade judaica na região, que resistiu a longos anos e séculos de perseguição religiosa. É o primeiro museu deste género em Portugal, localizado no último reduto da comunidade criptojudaica aí instalada por volta do século XV. O espaço está dividido em três pisos. No primeiro existe um átrio/recepção, a loja do museu e um auditório; no segundo encontra-se a exposição permanente; enquanto o terceiro destina-se a exposições temporárias e a um Centro de Estudos Judaicos. O museu expõe mais de uma centena de peças religiosas, do dia-a-dia e de uso profissional utilizadas por famílias hebraicas, especialmente da Beira Interior e Trás-os-Montes.

■ Ecomuseu do Zêzere
Museu também conhecido como "Tulha dos Cabrais", por se encontrar num edifício do século XVIII onde eram guardadas as rendas da família Cabral é dedicado à história do Rio Zêzere, à sua fauna e flora.


■ Igreja Matriz de Belmonte
Construção recente dos anos 40, alberga a imagem quatrocentista de Nossa Senhora da Esperança, que segundo a tradição acompanhou Pedro Álvares Cabral na viagem da descoberta do Brasil.

■ Museu dos Descobrimentos
O Museu dos Descobrimentos “À Descoberta do Novo Mundo”, é um espaço interactivo, com recurso às novas tecnologias multimédia, dedicado às descobertas marítimas e em especial à viagem de Pedro Álvares Cabral ao Brasil. Está espectacular!


■ Museu do Azeite
Instalado no antigo Lagar de Azeite, onde lhe é dado a conhecer o processo de fabricação do azeite.

■ Sinagoga de Belmonte
A Sinagoga Bet Eliahu, a Casa de Elias, foi projetada pelo arquiteto Neves Dias sendo inaugurada em 1997.

Foto: Net
Onde Dormir:

■ HOTEL BELSOL – Tudo impecável, desde o quarto, à limpeza, comida e um atendimento profissional e acolhedor. Recomendo.


■ POUSADA CONVENTO DE BELMONTE
■ CASA DO CASTELO

Apartamentos:
http://www.classificados.pt/
http://pt.anuncioo.com/
http://www.homelidays.com/
http://www.bigcasa.pt/
http://portugal.gabinohome.com/

Gastronomia
Relativamente à Gastronomia é de referir Cabrito assado, ensopado de cabrito, bolo de canela, filhós e biscoitos.

Onde comer:
Recomendo pela excelente qualidade da comida e do serviço:

■ Restaurante Brasão
■ Restaurante Casa do Castelo
■ Restaurante Grelha
■ Restaurante Belsol

Festas e Romarias
As FEIRAS ANUAIS são em 25 de Março, 2 de Setembro e 8 de Dezembro.

MERCADO QUINZENAL: 1ª e 3ª Segundas-feiras do mês.

Festa de Nossa Senhora da Esperança a 26 de Abril
Festa de Santo Antão no último Domingo de Maio
Festa do Corpo de Deus e Senhor dos Paços
Festa de Santa Marta (Quinta das Pereiras) último fim de semana de Julho.

Esta vila encantadora alia a sua beleza paisagística a toda a envolvente histórica, tornando este local uma visita obrigatória.

Vá visitar, Vale a pena.

Fontes e Fotos: wikipedia; http://www.cm-belmonte.pt/; www.guiadacidade.pt/; http://www.igogo.pt/; http://www.igespar.pt/ ; Olhares;; http://www.trekearth.com/; Flickr; Panoramio; outros.


Sempre que viajamos seja física ou virtualmente (através por exemplo da leitura), alargamos os nossos horizontes, pois vamos conhecer novos locais, novos costumes, novas realidades e gentes. Aumentamos o nosso conhecimento e enriquecemos interiormente.

segunda-feira, 8 de agosto de 2011

Parque Nacional de Yellowstone


Hoje vamos divagar pelo Parque Nacional de Yellowstone um dos mais antigos parques nacionais do mundo e o mais famoso dos EUA.



Yellowstone localiza-se nos estados de Wyoming, Montana e Idaho e é um dos maiores ecossistema de clima temperado no planeta, cobrindo uma área de 8.980 km2. É considerado o primeiro parque nacional no mundo, tendo sido inaugurado em 1 de março de 1872. Foi designado como Reserva da biosfera, a 26 de Outubro de 1976. Em 8 de Setembro de 1978 foi designado como Património Mundial, pela UNESCO.

Foto: http://www.globeimages.net


A topografia do território de Yellowstone é resultado de milhões de anos de influência de um ponto quente. O parque assenta sobre um planalto elevado com uma média de 2400 m de altitude e é bordejado em quase todas as direcções pelas Montanhas Rochosas que se elevam de 3000 a 4300 m.

Foto: http://www.globeimages.net


No Grande Desfiladeiro do Yellowstone (Grand Canyon of the Yellowstone), processos químicos deixaram, ao longo do tempo, camadas de rocha de diferentes cores. Partes do desfiladeiro chegam aos 240-370 metros de profundidade. Um óptimo local para ver a grandeza do Grand Canyon e das Lower Falls é o Ponto do Artista (Artist Point).

Aqui se encontram cascatas lindíssimas. As Upper and Lower Falls of the Yellowstone (Cascatas Superiores e Inferiores do Yellowstone) são as duas maiores cascatas do parque. As Upper Falls tem 33 metros de altura e criam um pequeno desfiladeiro. As Lower Falls são maiores, com uma altura de 94 metros, e criam o Grand Canyon.

Foto: 1ms.net

A caldeira vulcânica de Yellowstone é o maior sistema vulcânico existente na América do Norte, sendo normalmente denominado como "super-vulcão" devido à caldeira ter sido formada pela acção de erupções explosivas de elevada proporção.

Foto:  http://www.globeimages.net

Em Yellowstone, a interacção entre os processos vulcânicos, hidrotermais e glaciais contribuiu para uma distribuição da flora e da fauna complexa e única. A espécie botânica dominante no parque é a Pinus contorta. No entanto, variedades de Picea, Abies e Populus também são comuns. Possuí uma diversificada flora onde se destacam muitas espécies endémicas.

* Foto: Net


Tem uma impressionante quantidade de vida selvagem na qual se incluem os ursos negros, lobos, bisontes, alces, entre outros. O Monte Washburn é um dos melhores locais do parque para observar carneiros-selvagens, com um trilho que sobe a montanha até um miradouro perto do cume de 3 116 metros. Para visualizar bisontes o Vale de Hayden é o sitio ideal.



Uma das áreas mais populares do parque são as Bacias de géiseres . Entre os seus muitos atractivos pelos quais é famoso estão os seus mais de 10.000 géisers e nascentes de água quente, podendo as fontes termais ter várias cores, devido aos diferentes tipos de bactérias que aí crescem. No Upper Geyser Basin (Bacia de Géiseres Superior) encontra-se o maior número de géisers do parque, com mais de 100 numa área de uma milha quadrada.

West Thumb Geyser Basin (Bacia de Géiseres do Polegar Oeste)
Foto: wikipedia_Brocken Inaglory


O géiser mais famoso do mundo, denominado Old Faithful Geyser , encontra-se neste parque, tem grandes erupções que ocorrem, em média, a cada hora e meia. Apesar da reputação que as suas erupções têm de serem muito regulares, o tempo entre cada erupção tem vindo a aumentar nas últimas décadas. São também conhecidos o Grand Geyser (Grande Géiser; provavelmente o melhor géiser previsível do parque), o Castle Geyser (Géiser do Castelo), Daisy Geyser (Géiser da Margarida), e o Riverside Geyser (Géiser Beira-rio).

Foto: wikipedia_danielMartin


As Fontes Termais de Mammoth (Mammoth Hot Springs) , são águas termais carregadas de minerais flúem desde nascentes, depositando calcita e outras substâncias no seu caminho. À medida que o tempo passa, estes depósitos formam grandes terraços e outras formações calcárias. Alguns dos terraços crescem vários centímetros por dia.

Foto: http://wallpaperweb.org


De grande beleza o Lago Yellowstone (Yellowstone Lake) é o maior lago de água doce do país a uma elevação de 2500 metros. Tem uma largura de 32,19 km e um comprimento de 48,28 km. O Rio Yellowstone River desagua neste lago.

Foto: wikipedia_ Richard Wang


Na Fonte da Boca do Dragão (Dragon's Mouth Spring) , vapor e água quente surgem de dentro de uma caverna subterrânea, criando ondas na superfície da lagoa de lama. A lama e o vapor no interior da caverna reverberam e fazem altos sons de rugidos.

Foto: wikipedia_Jan Kronsell


Durante esses meses de inverno, os rios nos vales profundos ficam cobertos de neve, as montanhas nevadas geram um contraste inesquecível com o azul brilhante do céu. O parque torna-se uma terra fantástica de neve, gelo e vapor..

Foto: http://wallpapers.hdwallpaperhdpictures.in


A vida selvagem, as quedas de águas como as Lower falls que são as mais altas, as gargantas, a paisagem branca no inverno, o Yellowstone Lake, os penhascos, os géiseres ... são algumas das suas principais atracções deste parque nacional nos Estados Unidos que é o mais importante país.

Fontes: Wikipedia; http://wikitravel.org/pt/Parque_Nacional_de_Yellowstone; http://www.yellowstonenationalpark.com/; http://www.yellowstone-online.com/; http://nature-reserves.net/; http://www.globeimages.net; 1ms.net; http://wallpapers.hdwallpaperhdpictures.in; outros


* Fotos: Net
As fotografias sem indicação dos autores é porque não os consegui identificar. Se forem suas, por favor queiram contactar-me que colocarei imediatamente o seu nome, ou retiro-as se for esse o seu desejo. Não é de maneira nenhuma minha intenção quebrar direitos de autor.

Photographs without the authors’ names are because I could not identify them. If they are yours, please contact me and I will put immediately your name, or remove them, if that is your wish. It is not my intention to break authors rights.

Foto: http://www.globeimages.net


Viajar é alargar os nossos horizontes, é conhecer novas culturas, novos locais, paraísos perdidos que nos fascinam e encantam e se não o podemos fazer fisicamente, podemos sempre fazê-lo através da fotografia e da leitura, essa será a nossa viajem virtual!