quarta-feira, 23 de novembro de 2011

Alsácia - Beleza e Tradição


Ruas cheias de flores, casas tradicionais de cores vivas e que nos transportam até ao tempo medieval e paisagens de encanto. Hoje vamos divagar pelos caminhos da Alsácia.




A Alsácia situa-se no nordeste da França, sendo delimitada pelas Montanhas de Vosges a oeste e pelo rio Reno e pela Floresta Negra da Alemanha a leste. Do alto das Montanhas de Vosges nascem seis rios, que atravessam cerca de 97 quilômetros de magníficos vinhedos. O seu encanto para além da beleza natural, está em grande parte também ligado à riqueza do seu património cultural: castelos, fortes, igrejas, museus, belas casas de madeira e aldeias pitorescas.




O símbolo da Alsácia é a cegonha, pássaro que, segundo as histórias contadas às crianças, trazia os bebés às famílias. Quase extinta na região há vinte anos, ela foi reintroduzida e começa a repovoar os telhados das igrejas e o céu da Alsácia.




Ao pé das vertentes arborizadas dos Vosges dominadas por misteriosos castelos, a Alsácia mostra as suas mais belas aldeias vitícolas. Um traço comum a todos os povoados é uma arquitectura com muitos pormenores marcados pela cultura do vinho, com pátios interiores e outras estruturas funcionais requeridas por habitações rurais para apoiar os trabalhos vitivinícolas. Possui diversas florestas, principalmente nos Vosges e no Bas-Rhin (floresta de Haguenau).




As cidades da alsácia, pequenas ou grandes são, possuem um charme muito especial. Cercadas com recintos de muralhas, que abrigam acolhedoras pousadas históricas, ruas encantadores e muitas casas que ainda conservam a traça e estruturas medievais ou renascentistas e que se encontram impecavelmente preservadas.




Nas aldeias multi-coloridas as casas tem de ter permissão de planeamento relativamente ao esquema de cores. As flores estão por toda parte durante os meses de verão e os proprietários orgulham-se dos seus arranjos florais, quer nas janelas, quer ao longo das ruas.




A cultura do vinho na Alsácia remonta a uma época anterior à conquista romana. Com mais de 170 quilómetros, a Rota dos Vinhos de Alsácia serpenteia de Norte a Sul a través das colinas do vinhedo, por paisagens deslumbrantes, vilas medievais, igrejas românicas e da Renascença.




Algumas das grandes casas produtoras como Hugel, Dopff, Lorenz, Willm, mantêm-se propriedade das mesmas famílias há quatrocentos anos.


RIBEAUVILLÉ
Ribeauvillé é parcialmente cercado por muralhas antigas. Tem várias casas medievais e duas igrejas antigas, São Gregório e Santo Agostinho. A cidade contém uma valiosa colecção de antiguidades.




Perto da cidade encontram-se as ruínas de três castelos famosos, Ulrichsburg, Girsberger e Hohrappoltstein, que pertenciam aos senhores de Rappoltstein.




EGUISHEIM
Eguisheim é ocupada de maneira permanente desde a pré-história, sendo a sua arquitectura um exemplo de preservação. O nome da cidade "Egenesheim", no século X, significa "habitação de Egino", nome germânico. A povoação dispõe-se de forma concêntrica em torno do castelo do século XIII, restaurado no final do século XIX.




Ruas estreitas em paralelepípedos, recantos simpáticos, fileiras de casas medievais com os seus telhados em bico ou lindos pátios interiores, deslumbram quem a visita.




COLMAR
Colmar cognominada a Pequena Veneza do leste, situa-se numa paisagem relativamente plana, banhada pelo rio Lauch, a aproximadamente 20 km a leste do Reno. É a terceira maior cidade da Alsácia, após Estrasburgo e Mulhouse. A cidade de Colmar foi fundada no século IX, sendo-lhe outorgado o status de Cidade Imperial Livre do Sacro Império Romano-Germânico em 1226. Em 1834, nasceu em Colmar Frédéric Auguste Bartholdi, criador da famosa Estátua da Liberdade, localizada na cidade de Nova York.




O Centro histórico de Colmar com as suas casas e edifícios de estilo gótico e renascentista alemão, extremamente bem preservados, é de grande beleza e charme.




RIQUEWIHT
Riquewihr situa-se perto de Colmar. Cidade desde 1320 é protegida por muralhas, das quais faz parte o dolder, uma torre erigida em 1291 que vigia as muralhas da extremidade superior da cidade.




Do topo da torre Dolder tem-se uma belissima paisagem da cidade e, também, dos vinhas circundantes. Pátios setecentistas, com os seus varandins de madeira, casas antigas construídas no sec. XVI e XVII. Cada peça de arquitectura é milagrosamente preservada. Riquewihr de hoje assemelha-se muito a uma cidade da Idade Média, mantendo as pessaos o mesmo estilo de vida dessas épocas, com a sua existência girando em torno da indústria do vinho.




STRASBOURG
A cidade foi fundada pelos romanos em 12 a.C. No século 17, foi conquistada por Luís XIV. Em 1870, foi ocupada pela Alemanha que manteve o controle da cidade até a Primeira Guerra Mundial. O seu centro histórico foi considerado património mundial da humanidade pela UNESCO em 1988.




A cidade é também conhecida como uma das capitais da Europa, devido às inúmeras instituições europeias que ela abriga, entre as quais o Conselho da Europa, o Parlamento europeu (dividido com Bruxelas) e a Corte Europeia dos Direitos Humanos, sem esquecer a cadeia de televisão binacional franco-germânica Arte.




Fontes: Wikipedia; pt.franceguide.com/; http://www.almadeviajante.com/; http://www.visit-alsace.com/; http://www.photos-alsace-lorraine.com/; outros


* Fotos: Net
As fotografias sem indicação dos autores é porque não os consegui identificar. Se forem suas, por favor queiram contactar-me que colocarei imediatamente o seu nome, ou retiro-as se for esse o seu desejo. Não é de maneira nenhuma minha intenção quebrar direitos de autor.

Photographs without the authors’ names are because I could not identify them. If they are yours, please contact me and I will put immediately your name, or remove them, if that is your wish. It is not my intention to break authors rights.




Mesmo não sendo possível fazer uma viagem física, nada nos impede de conhecer novos locais, novos costumes, desde paisagens de sonho a castelos encantados, tudo é possível se abrirmos a nossa alma e deixarmos o nosso espírito divagar através de fotografias, pois estas conseguiram fixar para sempre aquele momento ou aquele local, fazemos assim uma viagem virtual. Por isso gosto tanto de fotografia!

segunda-feira, 14 de novembro de 2011

Penacova


No nosso país existem locais encantadores, nem sempre é possível visitá-los fisicamente, mas podemos sempre conhecê-los através de fotografias. Hoje vamos divagar por Penacova.

Foto: “Penacova Acervo fotografico”


Penacova é uma vila no Distrito de Coimbra, região Centro e sub-região do Baixo Mondego, localizada numa área de grande beleza natural, onde os vales e montanhas recortados pelos rios Mondego e Alba encantam o olhar.


Foto:Panoramio_Joao Carreira


A referência mais antiga a Penacova remonta a 911, data em que se reconheceu Idris, como legítimo proprietário de Vila Cova. Mas as referências registadas em documentos históricos dão nota de que: em 936, é feita a demarcação entre as duas Vilas Covas e Alquinitia; em 1036, sob o domínio muçulmano, é doada ao Mosteiro da Vacariça uma casa localizada no Castelo de Penacova; em 1105 são relatadas contendas entre os homens do Mosteiro de Lorvão e os moradores do castelo, que seriam harmonizadas por D. Henrique.


Foto: postaisportugal.canalblog


O primeiro foral atribuído a Penacova é da autoria de D. Sancho I, em 1192. Documento esse que foi confirmado a 06 de Novembro de 1217, por Afonso II.

Novo foral foi atribuído por D. Manuel em 1513. Em 1605, no reinado de D. Filipe II, foi elevada à categoria de Concelho.

A palavra Penacova é o resultado da aglutinação dos termos Pen – vocábulo cantábrico que deu origem à palavra penha e que significa monte, rochedo – e Cova, pelo facto da eminência rochosa se erguer de um vale profundo.


Foto: Net

■ Igreja Matriz de Penacova / Igreja de Nossa Senhora da Assunção
Edifício dos séc. XVI e XVII de tipologia renascentista. Possui um adro ajardinado, a partir do qual é possível vislumbrar uma grande área envolvente. É dedicada a Nossa Senhora da Assunção, a actual Igreja Matriz de Penacova foi alvo de profunda reforma arquitectónica na segunda metade do séc. XVI.


Foto: Net

■ Mosteiro de Lorvão em Penacova
É um dos mais antigos Mosteiro da Europa, os primeiros documentos conhecidos relativos ao Mosteiro de Lorvão datam de 878. Por volta do ano de 1200, o Mosteiro foi reformado para a Ordem de Cister, por D. Teresa, filha de D. Sancho I, passando para congregação feminina, encontrando-se na Capela-Mor da igreja os seus restos mortais. Os vestígios que são hoje visíveis pertencem a construções dos séculos XVII e XVIII.O Mosteiro alberga um Museu, situado na Sala do Capítulo, com uma importante colecção de pintura, cerâmica, mobiliário e tapeçaria dos séculos XVII e XVIII. O claustro de traça renascentista é ladeado por 13 capelas.


Foto: skyscrapercity_DanielPortugal


■ Miradouro de Penacova
Também conhecido por Mirante Emydgio da Silva (ou Emídio da Silva), a quem ficou a dever-se a a ideia da construção deste local, foi projectado pelo italiano Nicolau Bigaglia, tendo sido construído no século XX. Foi inaugurado em 1908 e as colunas de pedra foram trazidas do Mosteiro de Lorvão. Dele se avista uma paisagem magnífica sobre o Mondego.


Foto: Net

■ Pérgola Raúl Lino

Mandada construir pela Sociedade Propaganda de Portugal, foi projectada pelo arquitecto Raul Lino e foi oferecida ao Povo de Penacova em 1918. Com uma varanda coberta com glicínias dela se desfruta de e uma agradável vista sobre o rio.


Foto: Net

■ Museu do Moinho / Museu Vitorino Nemésio em Penacova
Este museu expõe um espólio de objectos de molinologia recolhidos não só no concelho de Penacova, mas também noutros concelhos do país. Aqui podem ver-se peças de moinhos e o modo como funcionavam os moinhos de vento e de água.

■ Moinhos e Azenhas
A localização geográfica, a altitude e a existência de zonas ventosas propiciaram que os habitantes do concelho de Penacova aproveitassem a força da natureza, construindo Moinhos quer movidos pelo vento (Moinhos de Vento) ou pela força da água (Azenhas). Penacova é, um dos concelhos com maior número de Moinhos de todo o país.


Foto: Panoramio_nrrsousa

■ A beleza junto aos rios
Reconquinho é um espaço de lazer encantador situado, na margem esquerda do Rio Mondego, que permite desfrutar as águas do Rio Mondego.


Foto: Net

A Lapa, Vimieiro, Cornicovo, Maria "Delegada" e Vale da Chã são locais que permitem desfrutar a Natureza e, simultaneamente, descobrir pequenos açudes, levadas, Rodas e Azenhas.


Foto: Net

■ Gastronomia
Da sua excelente gastronomia salienta-se a Lampreia e os Peixes do rio, as Migas, o Arroz de Míscaros, a Chanfana, prato típico da Região. Nos doces é de referir arroz doce, beijinhos de freira, bolo das infantas, bolo podre de Lorvão, bolos de bispo, broas de amêndoa, broas de ovos, capelas de ovos, confeitos, doce de amêndoas, derriços, doce de laranja, fatias do conde, ginetes, lampreia doce de Lorvão, entre muitos outros.


■ Artesanato
No artesanato de Penacova é de salientar produção artesanal artigos de madeira representativos do património do Concelho e a manufactura de palitos, tendo sido esta arte iniciada no Mosteiro do Lorvão, pelas freiras para decorar bolos e doces. Há dois tipos de palitos: "Pá e Bico" e "flor e pestana". Com a madeira do salgueiro, os artesãos fazem vários artefactos, tais como: moinhos, rocas, barcas tradicionais do rio Mondego, presépios, palmeiras, canetas. As peças são esculpidas em madeira com o auxílio de um canivete.


Foto: http://www.maispenacova.com/


Para conhecer melhor esta lindissima vila em fotografias, visite o site “Penacova Acervo fotografico” de Oscar Trindade.

Vá visitar, Vale a pena!

Foto: Panoramio_CidonioRinaldi

Fontes e Fotos: Wikipedia; http://www.freguesiasjuntas.net/Coimbra/Penacova/Penacova/Historia; http://portugal.rotasturisticas.com/; http://www.cm-penacova.pt/; Olhares; Trekearth; email; http://postaisportugal.canalblog.com/; http://penacovacervofotografico.blogspot.com/; http://www.maispenacova.com; outros

* Fotos: Net
As fotografias sem indicação dos autores é porque não os consegui identificar. Se forem suas, por favor queiram contactar-me que colocarei imediatamente o seu nome, ou retiro-as se for esse o seu desejo. Não é de maneira nenhuma minha intenção quebrar direitos de autor.


Sempre que viajamos seja física ou virtualmente (através por exemplo da leitura), alargamos os nossos horizontes, pois vamos conhecer novos locais, novos costumes, novas realidades e gentes. Aumentamos o nosso conhecimento e enriquecemos interiormente.

quarta-feira, 9 de novembro de 2011

Suan Nong Nooch (Jardim Nong Nooch)


Os jardins são espaços onde podemos apreciar e sentir toda a beleza da natureza, associada à arte e imaginação do homem. Hoje levo-os comigo a passear por Suan Nong Nooch um lindíssimo jardim botânico que fica localizado a aproximadamente 18 quilómetros a sul de Pattaya, na Tailândia


Foto: http://www.Trekearth.com_Copyright_Serghei Pakhomoff


Em 1954 o Sr. Pisit e a senhora Nongnooch Tansacha compraram uma extensão de 600 acres (2.4 km2), com a intenção de cultivar o terreno como uma plantação de árvores de fruto. Mais tarde os proprietários decidiram plantar plantas tropicais e espécies nativas, com um projecto de conservação biológica.


Foto: Net

Abriu ao público em 1980 e o seu nome foi uma homenagem à senhora Nongnooch, (a palavra "Suan" significa jardim ). A gerência do jardim foi transferida em 2001 para Kampon Tansacha, filho de Pisit e Nongnooch.


Foto: http://www.picstopin.com


Ocupa 500 acres dos 600 iniciais.


Foto: Net

Suan Nong Nooch alberga mais de 15.818 espécies de plantas.
Das grandes divisões do jardim, é de destacar :

•Jardim Europeu
•Jardim Françês

Foto: net

•Jardim de borboletas
•Jardim de Stonehenge


Foto: Net

•Cycas (plantas tropicais), com uma colecção de especies de cycas da Asia, América Tropical e África Central.

•Jardim dos Cactos, onde se destaca o Echinocactus grusonii (cacto duorado mexicano de barril), Echinopsis, Lobivia


Foto: http://www.picstopin.com


•Flores do vale
•Jardim de Plantas várias, como Wrightia tomentosa, Bougainvillea, Hoya, Cordyline, Croton, Marantaceae, Canna, Passiflora, Adelfa, Plumeria, plantas de Nova Caledonia


Foto: www.1ms.net

•Plantas Suculentas, com espécies de Agaves, Euphorbias de Madagascar,
•Jardim de orquideas e bromélias


Foto: http://www.skyscrapercity.com


Entre as actividades de tipo lúdico que os visitantes podem experimentar salienta-se a observação da fauna, cerimonias religiosas, demonstração de artes marciais, massagens, ou ainda exibições de elefantes.


Foto: http://secondglobe.com/


Site Oficial:  de Suan Nong Nooch
Fontes e Fotos : wikipedia; http://www.nongnoochtropicalgarden.com/; email recebido, http://secondglobe.com/; 1ms.net;  http://www.skyscrapercity.com ;  http://www.picstopin.com , http://www.Trekearth.com; outros net


* Fotos: Net
As fotografias sem indicação dos autores é porque não os consegui identificar. Se forem suas, por favor queiram contactar-me que colocarei imediatamente o seu nome, ou retiro-as se for esse o seu desejo. Não é de maneira nenhuma minha intenção quebrar direitos de autor.

Photographs without the authors’ names are because I could not identify them. If they are yours, please contact me and I will put immediately your name, or remove them, if that is your wish. It is not my intention to break authors rights.


Foto:Wikipedia_Kimmam


"Me perguntas por que compro arroz e flores? Compro arroz para viver e flores para ter algo pelo que viver." (Confúcio)

sexta-feira, 4 de novembro de 2011

Parque Nacional Montanhas do Tumucumaque

´

Hoje vamos divagar pelo Parque Nacional Montanhas do Tumucumaque, na floresta amazônica. É o maior parque nacional do Brasil e a maior reserva de conservação de Floresta Tropical do Mundo.


Foto: http://www.altaventura.com.br

Localiza-se na região noroeste do Estado do Amapá, ao longo da fronteira internacional do Brasil com a Guiana Francesa, Suriname abrangendo e uma porção estreita do Estados do Pará acompanhando a margem direita do rio Jari.


Foto: http://hdw.eweb4.com

A região abriga as nascentes de todos os principais rios do Amapá, com destaque para o Oiapoque, o Jari, e o Araguari.   O parque preserva ecossistemas naturais de grande relevância ecológica e de extraordinária beleza.


Foto: Net

São de grande beleza as cascatas que se formam ao longo dos cursos dos rios. O Araguari tem 36 cachoeiras ao todo. Ao longo do curso do rio Jari formam-se também várias cascatas como a do Cumarí, Inajá, Guaribas, do Rebojo, do Desespero e de Santo Antonio com 785 km de extensão.


Foto: http://4time2fun.com

O parque possui uma área de 3.867.000 há. Está situado na unidade de relevo das Depressões da Amazónia Setentrional com porções dos Planaltos Residuais do Norte da Amazónia, o seu relevo é plano, sendo a característica mais marcante no relevo da região a presença de formações geológicas graníticas, conhecidas como Pão de açúcar que emergem do meio da mata densa proporcionando paisagens de elevada beleza cénica.


Foto: http://www.portalamazonia.com.br

Existem três blocos destas montanhas rochosas na região: a Serra Lombarda (porção leste da UC), a Serra Uassipein (na porção central) e a Serra Tumucumaque (a oeste, na fronteira entre Brasil, Guiana Francesa e Suriname).

Abriga várias espécies endêmicas da flora e fauna.

Foto: http://www.wwf.org.br

Nos morros do tipo pão de açúcar, a vegetação é esparsa, com predominância de bromeliáceas e cactáceas. Na parte centro-norte do parque a floresta é de alto porte e cobertura uniforme, com núcleos esparsos de árvores emergentes. As espécies que mais se destacam são maçaranduba, maparajuba, cupiúba, jarana, mandioqueira, louros, acapu, acariquara, matamatás, faveiras, abioranas, tauari e tachi.

No Parque Nacional Montanhas do Tumucumaque existem florestas primárias intocadas.

Foto: turismo.culturamix_foto de Zig Koch

Tem uma fauna riquíssima que vai desde espécies espectaculares de mamíferos, como os grandes carnívoros (a onça e a sussuarana) e primatas raros (cuxiu), cujas populações estão bastante reduzidas em outras regiões até as araras, marianinhas, jacus, beija-flores multicoloridos, como o beija-flor-brilho-de-fogo e grandes pássaros frugívoros da copa da floresta, tais como o anambé-militar, o pássaro-boi e o gainambé.


Foto: http://www.worldwildlife.org

Sobrevoando o parque visualiza-se o extenso e verdejante tapete de copas de árvores, entrecortado aqui e ali pelos rios que correm na mata, levando vida ao longo do seu percurso e tornando este local .


Foto: http://www.portalamazonia.com.br

Tumucumaque ainda não possui infra-estruturas. As cidades de apoio são: Pedra Branca, Serra do Navio, Laranjal do Jarí, Oiapoque e Calçoene, todas possuem meios de hospedagem e restaurantes.

Fontes e Fotos: Wikipedia; www.portalsaofrancisco/; http://ecoviagem.uol.com.br/; http://4time2fun.com; http://www.portalamazonia.com.br; http://www.altaventura.com.br; http://www.worldwildlife.org; http://hdw.eweb4.com; outros Net.


* Fotos: Net
As fotografias sem indicação dos autores é porque não os consegui identificar. Se forem suas, por favor queiram contactar-me que colocarei imediatamente o seu nome, ou retiro-as se for esse o seu desejo. Não é de maneira nenhuma minha intenção quebrar direitos de autor.

Photographs without the authors’ names are because I could not identify them. If they are yours, please contact me and I will put immediately your name, or remove them, if that is your wish. It is not my intention to break authors rights.

Viajar é alargar os nossos horizontes, é conhecer novas culturas, novos locais, paraísos perdidos que nos fascinam e encantam e se não o podemos fazer fisicamente, podemos sempre fazê-lo através da fotografia e da leitura, essa será a nossa viajem virtual!