quinta-feira, 8 de novembro de 2012

Divagar por VILA do CONDE


Vila do Conde é uma linda cidade do Distrito do Porto, localizada a sul do rio Ave e banhada pelo Oceano Atlântico.

Foto: TreakEarth_Vila do Conde - AiresSantos


As suas origens são milenares, tendo existindo um castro Celta no século VIII a.C, no monte sobranceiro ao Rio Ave. A partir do século III a.C é ocupada por Romanos que escolhem deslocar a população para terras baixas, em volta do monte.


Foto: Skyscrapercity_Miguel_Arq1


A primeira referência a Vila do Conde é do ano de 953 no livro da condessa Mumadona Dias onde é referida como Villa de Comite.

Foto: Skyscrapercity_Miguel_Arq1


No principio do século XIV é construído o Mosteiro da Ordem de Santa Clara, que iniciou um franco desenvolvimento no estilo de vida da povoação.


Foto: wikipedia_Antonio Amen


Em 1516 D. Manuel I concedeu-lhe foral.


Foto: wikipedia_Pedro PVZ


No século XVI dá-se uma das grandes intervenções urbanisticas da cidade, tendo sido em 1538 aberta a Praça Nova, hoje Praça Vasco da Gama, onde foi edificado o edifício dos Paços do Concelho.


Foto: Skyscrapercity_Miguel_Arq1

Foto: Skyscrapercity_Miguel_Arq1


Vila do Conde é sede de município e está subdividida em 30 freguesias, tendo sido elevada à categoria de cidade em 1987.


Foto: wikipedia_Pedro PVZ


O seu litoral oferece 18 km de praias de grande beleza.


Foto: Skyscrapercity_Miguel_Arq1


De entre o seu vasto e magnífico património histórico, saliento:

■ Convento de Santa Clara
Foi fundado por iniciativa de D. Afonso Sanches, filho bastardo de Dinis I de Portugal, e de sua esposa, D. Teresa Martins. Do antigo património edificado resta hoje a igreja em estilo gótico, a área residencial (outrora designada como os "dormitórios novos"), edificada no século XVIII, os arcos do antigo claustro com o seu chafariz e o extenso aqueduto - o aqueduto de Santa Clara, em parte destruído.


Foto: Skyscrapercity_Miguel_Arq1

■ Aqueduto de Vila do Conde
Inicialmente formado por 999 arcos, com cerca de 4 Km, é o segundo aqueduto mais extenso de Portugal. Este canal artificial foi construído entre 1705 e 1714, desde o Convento de Santa Clara até à nascente (Terroso, Póvoa de Varzim), com o objetivo de levar água até ao chafariz do Mosteiro, através da sua arcatura.


Foto: wikipedia:Josep Renalias


■ Igreja Matriz de Vila do Conde
A Igreja Matriz de São João Baptista é um dos mais importantes monumentos da cidade e um dos mais significativos em estilo manuelino no país, apresentando elementos da arquitectura gótica e renascentista.


Foto: wikipedia_Sergio PT


■ Forte de Nossa Senhora da Assunção
Este Forte também referido como Forte de São João Baptista, localiza-se na foz do rio Ave. Em bom estado de conservação, encontra-se aberto à visitação turística.


Foto: wikipedia_Sergio PT


■ Igreja Matriz de Azurara
Foi construída no século XVI, a fachada principal é ladeada por uma torre retangular e o pórtico manuelino é constituído por um arco de moldura lavrada e ladeado por colunas em espiral.


Foto: Skyscrapercity_Miguel_Arq1


■ Capela de Nossa Senhora da Guia
Provavelmente esta ermida já existiria em 953, sendo referenciada, em 1059, no inventário dos bens pertencentes ao Mosteiro de Guimarães, mas designada como ermida de S. Julião. Para além da utilização de índole religiosa, a ermida funcionou, inicialmente, como ponto de apoio para defesa da barra.


FOTO: cm-ViladoConde


■ Capela de Nossa Senhora do Socorro
Situada num ponto alto, é um templo de pequenas dimensões com uma arquitectura curiosa, o seu formato é quadrado e a cobertura em abóboda é semelhante à de templos orientais.

Foto: DAQUI


Foi erguida em 1559 por iniciativa de Gaspar Manuel, cavaleiro professo da Ordem de Cristo e piloto-mor das carreiras da Índia, China e Japão e por sua mulher Bárbara Ferreira de Almeida, que aí se encontram enterrados.


Foto: Skyscrapercity_Miguel_Arq1


■ Igreja Paroquial do Senhor dos Navegantes (nas Caxinas)
Também chamada Igreja do Barco, Igreja Paroquial das Caxinas e Poça da Barca, devido à forma em barco.


Foto: www.panoramio_Parruco


■ Igreja da Nossa senhora da Lapa
localiza-se na rua da Lapa, junto à Cooperativa Agrícola. Data do século XVIII, e constitui-se num dos principais monumentos da cidade pela sua vistosa fachada ladeada por duas óptimas torres.

Foto: wikipedia_Nmmacedo


■ Mosteiro de S. Simão da Junqueira
A fundação do Mosteiro de S. Simão e S. Judas Tadeu da Junqueira, por D. Areas, Arcediago da Sé de Braga decorreu no século XI, sendo que data de 1084 o documento que contém a referência autêntica mais antiga do Mosteiro de S. Simão da Junqueira, uma carta de doação.


Foto: DAQUI


Em 1687, deu-se a edificação da Igreja dedicada a S. Simão e S. Judas Tadeu e, em 1770, o convento foi extinto por Breve de Clemente XIV; A Igreja apresenta planta em cruz latina com duas torres sineiras simetricamente integradas na fachada; Sobre o pórtico fica uma altíssima janela de recorte ovalada, com belo vitral. Ladeiam-no dois ni¬chos com as imagens de Si¬mão e S. Judas Tadeu.


Foto: DAQUI


■ Igreja de São Cristóvão de Rio Mau
Localiza-se na freguesia de Rio Mau, no concelho de Vila do Conde. Esta pequena igreja é tudo o que restou de um antigo mosteiro fundado no século XI, sendo um importante representante da arte românica em Portugal.


Foto: wikipedia: Pedro PVZ


■ Ponte de São Miguel
Ponte medieval, com perfil em cavalete, com três arcos desiguais de volta perfeita. Estima-se que a sua construção seja do século XII.


Foto: cm-Vila do Conde


■Casa Museu José Régio
Aqui se reúne uma vasta colecção de peças/obras de arte, que foram sendo adquiridas pelo poeta José Régio ao longo da sua vida. Na sua maioria, as peças relacionam-se com arte sacra, nomeadamente Cristos, estátuas, entre outros. Após o falecimento do poeta, a Câmara Municipal adquiriu a sua casa e abriu-a ao público no dia 17 de Setembro de 1975.


Foto: Panoramio_Majoca


■ Padrão da Memória – Tentativa de desembarque das tropas Liberais
O Padrão da Memória pretende assinalar a primeira tentativa a 8 de julho de 1832, de desembarque das tropas de D. Pedro em Vila do Conde. Frustradas, as tentativas de desembarque pacífico, foi decidido efetuá-lo em pé-de-guerra. O desembarque deu-se mais a sul, e os 7.500 homens que compunham o exército libertador ficaram conhecidos como “Os Bravos de Mindelo”.


Foto: DAQUI


■ MOSTEIRO DO SALVADOR DE VAIRÃO
O Mosteiro do Salvador de Vairão era feminino, pertencia à Ordem de São Bento e estava sob jurisdição diocesana. Antes de 974, data da primeira menção documentada, foi fundado, na freguesia do Salvador de Vairão, concelho de Vila do Conde.


Foto: DAQUI


Do artesanato de Vila do Conde é de salientar:
Manufatura de camisolas de lã e de outras peças de vestuário sobretudo em Azurara, uma atividade com séculos de existência, que procurava responder às necessidades de marinheiros e pescadores.
Elaboração de incríveis miniaturas de todo o tipo de barcos .
Confecção de mantas e tapetes de Trapo, tecidos em teares de madeira, a partir de tiras de farrapo na freguesia de Rio Mau, e de lã na freguesia de Fornelo. Confecção de Rendas de Bilros, uma tradição que remonta ao século XVI.


Foto: RendasdebilrosdeViladoConde


Esta vila encantadora alia a sua beleza paisagística a toda a envolvente histórica, tornando este local uma visita obrigatória.

Vá visitar, Vale a pena.


Para mais informações visite o site: Camara municipal de Vila do Conde
Fontes e fotos: Wikipedia; http://www.verportugal.net/Porto/Vila-Do-Conde/Patrimonio; http://www.skyscrapercity.com/; http://www.cm-viladoconde.pt/; trekEarth; http://www.igespar.pt/; http://digitarq.dgarq.gov.pt/details?id=1461684; Panoramio; outros net.

Foto: DAQUI


Sempre que viajamos seja física ou virtualmente (através por exemplo da leitura), alargamos os nossos horizontes, pois vamos conhecer novos locais, novos costumes, novas realidades e gentes. Aumentamos o nosso conhecimento e enriquecemos interiormente.

2 comentários:

  1. Andei por estas bandas há uns tempos....e voltarei
    pelo Natal...
    Bela escolha de imagens....,lindas
    Beijo

    ResponderEliminar
  2. Já visitei a Igreja de Caxinas. É linda!
    E a cidade montada na sua cave é uma maravilha!

    ResponderEliminar

“Aqueles que passam por nós, não vão sós, não nos deixam sós. Deixam um pouco de si, levam um pouco de nós” (Antoine de Saint-Exupery).

Obrigado pela sua visita e pelo carinho que demonstrou, ao dispensar um pouco do seu tempo, deixando aqui no meu humilde cantinho, um pouco de si através da sua mensagem.