quarta-feira, 19 de dezembro de 2012

Divagando pelos Castelos Brasileiros


Espalhados pelo Mundo os Castelos ou Palacetes são parte integrante da cultura e história do lugar onde estão inseridos, encantando também pela sua arquitectura e beleza.




Hoje vamos Divagar e conhecer alguns desses extraordinários edificos edificados no Brasil.

Castelo de Garcia D'Ávila
O Castelo de Garcia D'Ávila, na Praia do Forte, litoral norte da Bahia, foi iniciado em 1551 e concluído em 1624. As suas ruínas estão entre as mais antigas do Brasil. Garcia D'Avila chegou ao Brasil na expedição de Tomé de Souza, em 1549, sendo nomeado o feitor e almoxarife da Cidade do Salvador e da Alfândega. Mais informações no site da Fundação Garcia D'Ávila.


Foto: TrekEarth_ACesar

Castelo Labirinto de Zé dos Montes
Localizado na Serra do Tapuia em Rio Grande do Norte, foi idealizado por José Antônio Barreto conhecido popularmente como o Zé dos Montes. Possui várias torres e corredores escuros e estreitos, onde é muito fácil quem por lá passa poder perder-se.


Foto: DAQUI


Castelo da Ilha Fiscal, no Rio de Janeiro
O Castelo da Ilha Fiscal, no Rio de Janeiro, foi projectado pelo engenheiro Adolpho José Del Vecchio para o Ministério da Fazenda, que pretendia ter ali um posto aduaneiro. Del Vecchio elaborou um projeto arquitectónico em estilo neo-gótico com inspiração nos castelos franceses do século 14. A construção levou quase oito anos e foi feita por portugueses e escravos, sendo finalizado em 1889, juntamente com a urbanização da ilha.


Foto: Wikipedia


Château Lacave
Château Lacave em Caxias do Sul foi idealizado por Juan Carrau, que seguiu uma planta original de um Castelo Medieval espanhol do século XI. A sua construção começou em 1968 e levou 10 anos para ser construído. O castelo ocupa área de 70 mil metros quadrados, incluindo um lago e um bosque com araucárias. Está aberto ao público. Para mais informações poderá visitar o site oficial “Chateau Lacave” .


Foto: Panoramio_Germano Schüür


Castelo do Batel
O Castelo do Batel, em Curitiba é uma obra do arquitecto Eduardo Fernando Chaves tendo sido inspirado nos castelos do Vale do Loire, na França. Foi encomendado pelo cafeicultor Holanda Luís Guimarães. Em 1947 foi comprado por Moysés Lupion, ex-governador do Paraná. Actualmente funciona como centro de eventos. Mais informações no site oficial “Castelo do Batel”.


Foto: Wikipedia


Castelo de Bivar
O Castelo de Bivar em Carnaúba dos Dantas é propriedade particular de José Ronilson Dantas. A estrutura é feita de pedra, cercada por muros e com cinco torres arredondadas. No alto de uma colina trata-se de uma imitação de um castelo renascentista francês. Foi erguido por volta de 1984, mas a obra encontra-se ainda inacabada.


Foto: DAQUI


Castelo de Itaipava
Situado no bairro de Itaipava, na cidade de Petrópolis, Rio de Janeiro, foi construído na década de 20 por José Smith de Vasconcelos, o primeiro Barão de Vasconcelo, sendo uma reprodução dos castelos renascentistas. Foi projetado pelo arquiteto Lúcio Costa e pelo seu amigo Fernando Valentim. Atualmente, é alugado para a realização de eventos. Para mais informações ver “Castelo de Itaipava”.


Foto: DAQUI


Castelo São João
Edificado em estilo góticom faz parte integrante do Instituto Ricardo Brennand, um complexo composto por três prédios: o Museu Castelo São João, Pinacoteca e Galeria, circundados por um vasto parque. Localizado no Recife este Castelo teve como mentor o empresário Ricardo Brennand, cujo hobby era colecionar armas de diversas partes do mundo. O Castelo Museu contém exposto um dos maiores acervos de armas brancas do mundo, que inclui até 27 armaduras de metal completas. Mais informações em “Instituto Ricardo Brennand”.


Foto: Wikipedia


Castelo de Pedras Altas
Esta Fortaleza em granito rosa e com traços medievais, situa-se no Rio Grande do Sul e foi idealizada por Joaquim Francisco de Assis Brasil.

Foto: Panoranio_ELISE KUNRATH

Castelo Eldorado
Construído em Marilândia do Sul, Paraná, este castelo com 2142 m² tem quatro andares, inúmeros aposentos, que foram construídos e decorados com todo luxo e conforto, desde mármore carrara, vitrais franceses e lustres de cristal tchecos. Para saber um pouco mais visite o site oficial “ Castelo Eldorado”.


 Foto: DAQUI


Fontes e Fotos: wikipedia; http://turismo.terra.com.br/; casteloeldorado.blogspot.com/; www.institutoricardobrennand.org.br; http://www.casandocomestilo.com.br/mostra3/; www.castelodeitaipava.com.br/; http://viajamos.com.br; www.castelodobatel.com.br/; www.lacave.com.br/; outros net.


Foto_SkyscraperCity_HeilSul

Para alargarmos os nossos horizontes basta abrir a janela da net e divagar pelo Mundo.


sábado, 15 de dezembro de 2012

Kaieteur National Park




O Kaieteur National Park é um parque nacional localizado na Região Potaro-Siparuni da Guiana, na América do Sul. Uma incrível e bela floresta tropical no coração de Guiana.


Foto:  wikipedia_Nick Taylor

O Parque ocupa uma posição de destaque no centro de Guiana Shield (Escudo de Guiana), na região da montanha Pakaraima, não se tendo alterado significativamente desde a altura em que foi visto pela primeira vez pelo explorador europeu, Barrington Browne em 1870.


Foto: wikipedia_Andreas Eils

Foi criado para preservar a paisagem natural (incluindo Kaieteur Falls), a fauna e flora desta região. O valor excepcional natural da área foi reconhecido logo pela administração colonial britânica, que em 1929 designou uma área do rio Potaro, incluindo Kaieteur como Parque Nacional. Em 1999 a área do Parque foi aumentada substancialmente por uma ordem presidencial.


Foto: http://traveladventureeverywhere.blogspot.pt

Kaieteur National Park possui uma floresta que integra uma enorme bacia entre a Amazónia e os rios Orinoco. Abrange 75.000 quilómetros quadrados e é delimitada pelo Rio Amazonas para o Sul, o Rio Japur-Caquetá para o sudoeste, a Serra de Chiribiquete para o Ocidente, o Orinoco e rios Guaviare para no noroeste e no norte, e do Atlântico ao leste.


Foto: http://www.guyanatimesinternational.com

É uma área composta principalmente por planaltos e escarpas íngremes inclinadas. As terras altas de Guiana (Highlands Guiana ou Guiana shield) têm cerca de 2 bilhões de anos sendo das mais antigas superfície da Terra.

A maior parte das montanhas variam entre 2000 (6.500 pés) de 2700 metros (8.800 pés), Roraima é a mais alta de todas, em 2810 metros (9.219 pés).




O parque é conhecido pela grande quantidade de rios e cascatas que caem do alto das escarpas. A maravilhosa cascata Kaieteur Falls está localizada no rio Potaro, no ponto central do Parque, e é uma das quedas de água mais espetaculares do mundo. Localizada onde a formação Roraima abre caminho para as terras baixas ela caí de 226 m (741 pés) para uma bacia, depois de ter viajado cerca de 32 km através de uma profunda garganta.


Foto: www.TrekNature.com_copyright James Parker

Esta área contém cerca de 20.000 diferentes espécies de plantas vasculares, dos quais 35% são endémicas, tornando-se uma das mais ricas três áreas silvestres tropicais da Terra.




Kaieteur National Park é o lar de uma grande variedade de espécies, algumas delas ameaçadas de extinção.


Foto: http://www.wallpapershdtop.com/

O Parque oferece suporte a um ambiente de micro, incluindo as Bromélias Tank (Tank Bromeliads), plantas que armazenam água em suas folhas duras, voltadas para cima e que são as segundas maiores do mundo, local de eleição do sapinho de Ouro.


Foto: wikipedia_Bill Cameron

Kaieteur National Park tem a menor densidade populacional humana de qualquer região de floresta tropical, consistindo principalmente de culturas ameríndias, tornando-o um dos poucos lugares na Terra onde todas as opções para a conservação estão disponíveis.

Para mais informações pode consultar o Site oficial: Kaieteur National Park

Fontes e Fotos: Wikipedia, http://www.kaieteurpark.gov.gy/old/about.html; http://picture4u.net/guyana/; http://www.puretravel; www.TrekNature.com; http://www.guyanatimesinternational.com; outros net

* Fotos: Net
As fotografias sem indicação dos autores é porque não os consegui identificar. Se forem suas, por favor queiram contactar-me que colocarei imediatamente o seu nome, ou retiro-as se for esse o seu desejo. Não é de maneira nenhuma minha intenção quebrar direitos de autor.

Photographs without the authors’ names are because I could not identify them. If they are yours, please contact me and I will put immediately your name, or remove them, if that is your wish. It is not my intention to break authors rights.


Foto: Puretravel

Viajar é alargar os nossos horizontes, é conhecer novas culturas, novos locais, paraísos perdidos que nos fascinam e encantam e se não o podemos fazer fisicamente, podemos sempre fazê-lo através da fotografia e da leitura, essa será a nossa viajem virtual!

domingo, 9 de dezembro de 2012

Gotemburgo Botanical Garden



O Jardim Botânico de Gothenburg, (Göteborgs botaniska trädgård) é o maior jardim botânico da Suécia, um local maravilhoso, onde a beleza e encanto da natureza associadas à arte e mestria do homem convidam o visitante a um passeio, ou apenas a fazer uma pausa revigorante, para aliviar o corpo e alma do acelerado ritmo da vida quotidiana.


Foto: seisreyes.com

Está localizado em Carl Slottbergs Gata na cidade de Gotemburgo. Tem uma área total de 175 hectares (cerca de 430 ha) contando ainda com uma parte da reserva natural de Änggården.


Foto: Wikipedia

Foto: Thors Fotoblogg_Egna Foton

 
É o lar de mais de 16.000 espécies de plantas ao ar livre, além de 4.500 na sua estufa, das quais 1.600 são orquídeas.


Foto: CityKnown



Neste jardim encontra-se um bosque de bambu, um jardim de ervas, um vale japonês, um jardim de pedras, uma estufa com plantas exóticas, enfim é um lugar maravilhoso com uma imensidão de lugares onde o visitante se pode sentar para relaxar e descansar.


Foto: Wikipedia_Gumisza

Foto: seisreyes.com

Alguns dos seus espaços
• Arboretum (árvores e arbustos de todo o mundo)
• Vale japonês
• O Jardim dos rochedos
• Horta familiar
• Vale dos rododendros
• Estufas

Foto: seisreyes.com


Arboretum (árvores e arbustos de todo o mundo)
São cerca de 15 hectares de área externa, que desde o início dos anos 50 foram plantados com árvores e arbustos de todo o mundo, como Cercidiphyllum japonicum, os Glyptostroboides e cerca de 300 outras espécies.


Foto:leabright.files.wordpress

Foto:leabright.files.wordpress

Vale japonês
Um lugar de contemplação silenciosa onde  se pode desfrutar tranquilamente da beleza de plantas herbáceas, arbustos e árvores, japonesas e do Leste da Ásia. Especialmente notável são as magnólias, azaléias e cerejeiras.


Foto: TrekEarth_Saxo042


Em maio, o chão cobre-se de flores Hylomecum japonicum. No outono, as árvores e arbustos tornam-se numa imensa profusão de cores.


Foto: TrekEarth_Monziii

Jardim dos rochedos (com 5000 plantas)
O “Rock Garden” (jardim dos rochedos) é o orgulho do jardim botânico sendo muito famoso e tendo já recebido três estrelas no Guia Michelin. Aqui existe uma multiplicidade de plantas coloridas adequadas para o cultivo em jardins ornamentais, pântanos e áreas de sombra. Em 2003, uma nova atração foi adicionado ao jardim, um departamento com plantas gregas, Flora Hellenica.  As plantas do jardim de pedra são dispostas de acordo com a sua origem geográfica.


Foto:leabright.files.wordpress


Vale dos rododendros
Solo ácido, alta humidade, um local abrigado e um clima de inverno relativamente ameno são as condições que tornam esta coleção de rododendros selvagens uma das maiores nos países nórdicos. Existem mais de 200 espécies selvagens em exposição. Durante a maior parte do ano, encontram-se algumas delas em flor. As cores mais comuns são rosa e vermelho, mas a sua paleta também é feita de branco, amarelo, roxo e azul.


Foto: Panoramio_Despina Mousafiri

Horta familiar
Ao abrir o portão de madeira verde entra-se no jardim da cozinha. Aqui, o jardineiro amador pode encontrar inspiração para o enredo em casa. As hortaliças são cultivadas num sistema de rotação de quatro anos. Todo o cultivo é ecológico e os inseticidas foram naturalmente, banidos.


Foto: www.gotbot.se


Estufas (Greenhouses)
Nas estufas encontram-se cerca de 4.500 espécies diferentes, incluindo cerca de 1.600 orquídeas.



Foto: botaniska-gardener.blogg.se_Hasse Wester

A coleção de orquídeas situa-se em quatro casas com climas diferentes. As orquídeas estão em plena floração em março e abril, com um segundo período de floração, menos espetacular durante setembro e outubro.


Foto: Panoramio_HeleneS

As Begonias compartilham a sua casa com plantas subtropicais, com o musgo espanhol, Waxplants e Staghorn epífitas samambaia. A floração é mais abundante no Outono, mas algumas espécies de Begonia florescem todo o ano.


Foto: botaniska-gardener.blogg.se_Hasse Wester

Não só cactos crescem na Casa Cactus, mas também outras suculentas, como espécies de agave e Aloe e os sul-africanos "pedras vivas" .

A casa “The Southern Hemispere House “ contém plantas e mato australiano como acácias e eucaliptos entre outros.


Foto: botaniska-gardener.blogg.se_Hasse Wester

Um jardim encantador, um local especial!

Visite o site oficial “Gothenburg Botanical Gardens

Fontes e Fotos: Wikipedia; http://www.gotbot.se/; http://seisreyes.com/; ttp://leabright.files.wordpress.com/; Flickriver; cityKnown.com; http://gardener.blogg.se/; Panoramio; Thors Fotoblogg; Outros NET


* Fotos: Net
As fotografias sem indicação dos autores é porque não os consegui identificar. Se forem suas, por favor queiram contactar-me que colocarei imediatamente o seu nome, ou retiro-as se for esse o seu desejo. Não é de maneira nenhuma minha intenção quebrar direitos de autor.

Photographs without the authors’ names are because I could not identify them. If they are yours, please contact me and I will put immediately your name, or remove them, if that is your wish. It is not my intention to break authors rights.

Foto: Wikipedia


"O segredo é não correr atrás das borboletas... É cuidar do jardim para que elas venham até você." (Mario Quintana)

sexta-feira, 7 de dezembro de 2012

Arte no Gelo e na Neve em Harbin




O Festival Internacional de Escultura em Neve e gelo realiza-se em Harbin desde 1963.


Foto: DAQUI


Harbin no nordeste da China, é a capital da província de Heilongjiang e encontra-se sob a influência do vento frio de inverno da Sibéria.




É conhecida e chamada a “Cidade do Gelo”, devido ao seu longo e frio inverno, em que as temperaturas podem descer até -30°C.


Foto: HARBIN PHOTO_ REUTERS Sheng Li



No inicio de cada ano (janeiro) Harbin, é a anfitriã duma festa de arte em Gelo e Neve, que atraí visitantes do país e turistas de outras partes do mundo.





A realização de esculturas de neve e gelo tem a sua origem já nos tempos de Manchu, mas a primeira exposição foi realizada pela primeira vez em 1963 e o festival anual começou em 1985.




Vêm equipas de todas as partes de mundo, desde Rússia, Japão, Estados Unidos, Canadá, França ou África do Sul.





O principal motivo do evento é promover a arte, no caso do festival de neve, e mostrar a beleza da arquitetura no festival de gelo.




São construídas cidades de gelo, palácios de contos de fada, pagodes orientais, labirinto de gelo, bar de gelo, e até mesmo um hotel de gelo. …





Luzes de neon coloridas brilham por todo o espaço do festival, e à entrada enormes blocos de gelo, formando estruturas de mais de 30 metros dão as boas vindas aos visitantes.



Foto: Trekearth_neilharris


Os efeitos especiais de iluminação, criados pelos escultores, tornam as obras ainda mais impressionantes.




Todo o gelo do parque é proveniente do rio SongHua Jiang, um afluente do rio Amoer na Rússia. São necessárias enormes serras para cortar o gelo, que pode ter metros de espessura.




Harbin Ice and Snow World oferece também uma vasta proposta de formas de lazer e diversão.




Os visitantes fãs de desportos de neve, podem participar em atividades no gelo como fazer escalada em paredes feitas de gelo, patinagem, ski, golfe no gelo, atirar flechas de gelo, ou apenas descontrair deslizando no gelo.




Durante o festival, ao anoitecer há apresentações especiais, shows temáticos de música, acrobacias e danças sobre o gelo.




O festival Internacional de Harbin é um dos quatro maiores festivais mundiais de gelo, juntamente com Sapporo Snow Festival no Japão, o Quebec Winter Carnival no Canadá, e o Festival Ski da Noruega. O Festival do Gelo não é apenas uma exposição de arte de gelo e neve, mas também um evento cultural para intercâmbio internacional.

Fontes e Fotos: Wikipedia; http://www.travelchinaguide.com/; http://news.everychina.com/; http://michelechristine.wordpress.com/; http://www.watershed.com.br/; http://news.everychina.com; email's recebidos, outros net




"A finalidade da arte é, simplesmente, criar um estudo da alma." (Oscar Wilde)