domingo, 15 de dezembro de 2013

DIVAGAR por VALE DA PINTA - pelos olhos do Pedro

Á um ano o Pedro foi passar uns dias de férias escolares no My Camp, um campo de férias na Quinta da Broeira em Vale da Pinta. 




Hoje vamos conhecer um pouco de Vale da Pinta através das fotografias do meu filho Pedro.




Vale da Pinta foi uma freguesia portuguesa do concelho do Cartaxo, foi extinta este ano, no âmbito da reforma administrativa nacional, tendo sido agregada à freguesia do Cartaxo.


  





Segundo a sua história e lenda, Vale da Pinta está ligada a diversos factos de importância relevante, entre eles as conquistas e incursões cristãs contra os mouros, levadas a cabo pelo primeiro rei de Portugal, D. Afonso Henriques.





Em 1225, no nome de Vale da Pinta surgiu numa mercê de D. Sancho II, quando este concebeu a Pero Pacheco a mercê dos terrenos do Reguengo do Cartaxo, nas confrontações da concessão foi feito referência às “herdades de Valle da Pinta”.



  


Em 1312, quando D. Dinis concedeu foral ao Cartaxo, concedeu aforamento a vinte homens, entre eles Fernão Pais de Vale da Pinta.






No século XVII, dois naturais de Vale da Pinta assumem um papel de destaque: D. Garcia de Noronha, sobrinho de Afonso de Albuquerque, vice-rei da Índia, e Cristóvão Esteves, um dos compiladores das Ordenações Manuelinas, proprietário da Quinta da Esparagoza (Vale da Pinta).





Em 1642 há registos da existência da confraria ou irmandade de Nossa Senhora da Graça, cuja devoção assumiu contornos expressivos em Vale da Pinta – ainda hoje a festa anual é feita em honra de Nossa Senhora da Graça. 




Como património cultural de Vale da Pinta é de referir a Igreja Matriz e o Poço de São Bartolomeu, um poço quadrangular, em pedra, com ligação a um bebedouro que servia para dar de beber aos animais. É monumento histórico municipal. Ali foi encontrado uma imagem de São Bartolomeu, por essa razão, o Poço tem o nome do referido santo. 






Alguns momentos de lazer no campo de férias My Camp.







Um miminho para todos os AMIGOS, dado pela mão do meu filhote.




Fontes: Wikipedia, http://jf-valedapinta.pt/info/.
Fotos: Pedro Rodrigues

domingo, 1 de dezembro de 2013

As GALINHAS de Porto Galinhas




A arte manifesta-se nas mais diferentes formas e nos mais diversificados materiais. Hoje vamos apreciar as GALINHAS de Porto Galinhas, feitas de antigos troncos de palmeiras.






Porto de Galinhas é uma conhecida praia da Região Nordeste do Brasil, localizada no município de Ipojuca, no estado de Pernambuco.







A sua fama deve-se, principalmente, às belezas naturais: piscinas de águas claras e mornas formadas entre corais, estuários, mangues, areia branca e palmeiras.





Inicialmente, a praia era chamada de Porto Rico, devido à sua abundância em pau-brasil. No auge da escravidão no Brasil, era o principal ponto de comércio de escravos ilegais no nordeste brasileiro. Muitas vezes, os mesmos chegavam escondidos debaixo de engradados de galinhas d'angola. A chegada dos escravos ilegais ao porto costumava ser anunciada pela frase tem galinha nova no porto! Desta forma, a praia de Porto Rico ficou conhecida como Porto de Galinhas.







As galinhas são o símbolo da cidade, elas encontram-se por todo o lado sinalizando ruas, restaurantes, e todo o tipo de comércio. Com cerca de um metro e meio de altura, elas aparecem nas mais diferentes formas, desde galinha dona de casa, galinha turista, galinha surfista ....






O artista chama-se Carcará é de Olinda mas vive já há bastantes anos em Porto Galinhas. A Prefeitura de Ipojuca disponibiliza as raízes dos coqueiros e ele as transforma nestas belas peças. Leva cerca de sete dias para fazer uma galinha e as portas do seu ateliê, que se situa perto do hotel Armação de Porto, estão sempre abertas aos turistas, quer para conhecerem a sua arte, ou mesmo para fazer alguma encomenda.

Texto: Wikipedia e net
Fotos: António Rodrigues




"A arte diz o indizível; exprime o inexprimível, traduz o intraduzível." (Leonardo da Vinci)

sexta-feira, 29 de novembro de 2013

Locais Incrivéis mas Dificéis de alcançar



Mount Cangyan - the Fortune Celebration Temple.
Fica localizado a sudoeste da capital provincial Shijiazhuang e perto da fronteira com a província de Shanxi. O edifício mais famoso no Monte Cangyan é o Templo Celebration Fortune.


Foto: esversionWordpress.com


Katskhi Pillar
É um monólito de pedra calcária natural localizada na aldeia de Katskhi na região da Georgia, perto da cidade de Chiatura . Fica a cerca de 40 metros de altura. No topo encontra-se uma igreja, construida por monges, provávelmente entre os séculos XIX e X. Entre 2005 e 2009, o edifício do mosteiro foi restaurado com o apoio da Agência Nacional para a Preservação do Patrimônio Cultural da Geórgia. A rocha é agora acessível através de uma escada de ferro correndo da sua base até o topo.


Foto: Image+source_faith.ge


The Narrows em Travis no Texas.
Numa propriedade particular, esta piscina natural, fica num desfiladeiro e é formada apenas em algumas épocas do ano.


Foto: www.Hillcountryalliance.org


Ball’s Pyramid
Localiza-se no litoral australiano e é o resto da explosão de um antigo vulcão. É a rocha mais alta do mundo existente no mar. Tem o formato de pirâmide e uma altura de 562 metros. É muito dificil chegar lá por estar sempre cercada de tubarões.

Foto: WWW.wordl-insights.com


Phugtal Monastery ou Phugtal Gompa na Índia
Um mosteiro construído num penhasco, no inicio do século XII, tem uma construção fora do vulgar em forma de favo de mel.


Foto: sun-surfer.com

Fontes e Fotos: Wikipedia; sun-surfer.com; www.Hillcountryalliance.org; Image+source_faith.ge; esversionWordpress.com; WWW.wordl-insights.com; outros net