sexta-feira, 24 de maio de 2013

Divagar pela Patagónia Argentina


Foto: www.globeimages.net


A Patagónia é uma vasta região situada  na América do Sul, compartilhada pela Argentina e pelo Chile. Dado o muito que há para ver, hoje vamos apenas divagar pela Patagónia Argentina, a Patagónia Chilena ficará para uma próxima viagem virtual.



Fotos: email recebido


Situada no extremo sul da Argentina, estende-se do Oceano Atlântico à Cordilheira dos Andes. Os seus parques, lagos, florestas, serras cobertas de neve e glaciares fazem desta região um local muito especial. 


Foto: www.wallcoo.net


A Patagónia argentina tem 11 Parques Nacionais e inumeráveis reservas e áreas naturais protegidas. Incluí as Províncias de Neuquén, Rio Negro, Chubut, Santa Cruz e o arquipelago da Terra do Fogo.

Neuquén
A província de Neuquén (Neuquén significa "rio ventoso") tem como capital a cidade de Neuquén, sendo esta a cidade mais importante da Patagônia. Limita-se ao norte com a província de Mendoza, a leste e sul com a de Río Negro e a oeste com a República do Chile. O meio físico se caracteriza-se por um escalonamento decrescente de oeste para leste. O seu rio mais caudaloso é o rio Limay.


Foto: www.espacoturismo.com


Rio Negro
A capital da província de Rio Negro é Viedma. A cidade mais conhecida desta província e porta de entrada para a Patagonia é San Carlos de Bariloche.


Foto: www.vurilocheturismo.com


Bariloche famosa pelas suas estações de esqui, está localizada junto à Cordilheira dos Andes na fronteira com o Chile, encontrando-se rodeada pelos lagos (Nahuel Huapi, Gutiérrez, Mascardi) e por montanhas, como o Cerro Tronador (3354 m de altitude, na fronteira com o Chile), o Cerro Catedral (movimentada estação de esqui) e o Cerro López.


Foto:www.dreamskiadventures.com


Entre a provincia de Neuquén e a província de Rio Negro localiza-se o parque mais antigo dos parques nacionais argentinos, o Parque Nacional Nahuel Huapi . Este Parque foi criado em 1934 e ocupa uma superfície de 713 160 hectares (491.160 ha na província de Neuquén e 220.000 ha na província de Rio Negro). Dentro dos limites do parque ficam a cidade de San Carlos de Bariloche e o Lago Nahuel Huapi.


Foto: wallpapers.phtorama.me


Chubut
A sua capital é a cidade de Rawson. A norte da província de Chubut fica a cidade de Puerto Piramides, é a única cidade na Península Valdés tendo esta área devido a sua biodiversidade e a riqueza natural sido declarada Património Mundial pela Unesco em 1999. Puerto Piramides tornou-se um dos principais destinos para observação de baleias em todo o mundo.


Foto: wikipedia_lisandro_moises


Puerto Piramides tornou-se um dos principais destinos para observação de baleias em todo o mundo.


Foto: www.clickchut.com.ar


Na província de Chubut é de referir também Punta Tombo, onde existe uma importante colônia de pinguins de Magalhães.


Foto: treakearth_Copyright_Matteo Porta


Santa Cruz
A provincia de Santa Cruz, tem como capital a cidade de Rio Gallegos. O destino mais visitado de Santa Cruz é o Parque Nacional Los Glaciares.


Foto: TreakEarth_Copyright_Alexandre Gorse


No sudoeste da Província de Santa Cruz e na margem sul do Lago Argentino localiza-se a cidade El Calafate . O seu nome vem de um arbusto espinhoso típico do sul da Patagônia (berberis microphylla).


Foto: www.conservacionpatagonica.org

Na primavera tem flores amarelas e frutos roxos no verão. Segundo a tradição, quem come esse fruto sempre retorna à Patagônia. A cidade de El Calafate foi fundada em 7 de dezembro de 1927.


El Calafate é a porta de entrada do, Parque Nacional dos Glaciares declarado em 1981 como Património da Humanidade pela UNESCO. 


Foto: email recebido


Este parque compreende uma superfície de 7.240 km², foi criado em 1937, e é o segundo maior da Argentina. O seu nome refere-se à calote de gelo gigante na Cordilheira dos Andes, que alimenta 47 grandes glaciares. A camada de gelo é a maior fora da Antártida e da Gronelândia. 


Foto: www.dreamskiadventures.com


Esta área é o habitat do condor, do puma, do guanaco, da raposa cinzenta, bem como os veados huemul, do touro selvagem e do pato Torrent.


Foto: vários


Existem mais de 1.000 espécies de aves na área (condores, águias e outros), mas apenas 100 foram registados.


Foto: TreakEarth-Copyright_federico ce


Quanto à flora encontram-se árvores da família Nothofagus como a lenga, o ñire e o coihue e também coníferas como o cipreste-da-patagónia, sendo importante também a presença de um arbusto de frutos saborosos o berberis buxifolia. A zona oriental do parque é maioritariamente estepe onde predominam o neneo, o coirón, a llareta e la jara.

Foto: vários


Foto: wikipedia_mEL23


O Parque Los Glaciares, pode ser dividido em duas partes, cada uma correspondente a um dos dois grandes lagos alongados parcialmente contidos pelo Park, o Lago Argentino a sul e o Lago Viedma a norte, ambos os lagos alimentam o rio Santa Cruz.


Foto: wikipedia_Barcex


Na parte norte encontra-se o Lago Viedma com 1.100 km ², o glaciar Viedma e alguns glaciares mais pequenos, e uma série de montanhas muito populares como o Monte Fitz Roy e Cerro Torre.

O Monte Fitz Roy ou Cerro Chaltén tem 3359 metros de altitude e está localizado perto da aldeia de El, e é uma das grandes atrações desta província, sendo muito apreciado principalmente para os fãs de escalada e trekking.


Foto: wikipedia_Fitzroy


A parte sul do Parque Nacional Los Glaciares localiza-se nas margens do maior e mais austral dos grandes lagos da Patagonia, o Lago Argentino com 1,466 km ² e uma profundidade média de 150 m de altitude. O lago foi descoberto e explorado pela primeira vez por Francisco Pascasio Moreno (1852-1919), em 1875.

Foto: TreakEarth_Copyright_Joern Friehs(tschoern)


Nas margens deste grande lago encontram-se vários glaciares entre os quais se destacam o Glaciar Perito Moren, o glaciar Spegazzini, o glaciar Upsala e o glaciar Onelli.


Foto: www.globeimages.net


O famoso glaciar Perito Moreno é considerado uma das reservas de água doce mais importantes do mundo e possui cinco quilómetros de largura e 60 metros de altura. O seu nome é uma homenagem a Francisco Pascasio Moreno, criador da Sociedade Científica Argentina e um renomado pesquisador da região austral daquele país.


Foto: www.globeimages.net

Terra do Fogo
A Terra do Fogo é um arquipélago, formado por uma ilha principal (a Ilha Grande da Terra do Fogo, muitas vezes chamada igualmente Tierra del Fuego) e um grupo de ilhas menores. A ponta mais a sul do arquipélago é o Cabo Horn. É na província da Terra de Fogo que fica a cidade de Ushuaia, também designada a cidade do Fim do Mundo. Daqui se parte para navegar no Canal de Beagle, o estreito que separa as ilhas do arquipélago da Terra do Fogo, ligando os Oceanos Atlântico e Pacífico e o porto de Ushuaia. No canal de Beagle fica o Farol do Fim do Mundo, o Les Eclairs.




A patagónia argentina é um lugar único, especial e de rara beleza.

Fontes e Fotos: Wikipedia: http://www.globeimages.net/; http://www.bariloche.org/; ttp://www.patagoniaexperience.com/; http://www.almadeviajante.com/; http://www.nahuelhuapi.gov.ar/; http://www.patagonia.com.br/; http://wikitravel.org/pt/Patag%C3%B4nia_Argentina; http://www.interpatagonia.com/index_p.html; http://www.intangibility.com/Photography/Travel/Patagonia01/Flowers.html; http://www.patagoniaplants.com/, email recebido; outros net.


* Fotos: Net
As fotografias sem indicação dos autores é porque não os consegui identificar. Se forem suas, por favor queiram contactar-me que colocarei imediatamente o seu nome, ou retiro-as se for esse o seu desejo. Não é de maneira nenhuma minha intenção quebrar direitos de autor.

Photographs without the authors’ names are because I could not identify them. If they are yours, please contact me and I will put immediately your name, or remove them, if that is your wish. It is not my intention to break authors rights.


Foto: email recebido

Não podendo conhecer ao "vivo" todos os incriveis locais do nosso planeta, podemos sempre viajar através de fotografias e de texto. A net é o meu meio de alargar os horizontes, de conhecer sitios muitas vezes longínquos, outras bem mais pertinho, mas sempre locais com uma beleza muito especial e própria que encantam o olhar e libertam o coração das sombras que por vezes pairam sobre ele. O meu sincero OBRIGADO a todos os fotografos que permitem a todos nós divagar.


2 comentários:

  1. Querida amiga
    Vim para lhe dizer que não me esqueci de ti, nem deste lindo cantinho, peço desculpas pelo meu silencio, mas tem sido por conta da vida, que em certas vezes nos pede um pouquinho de tempo para ela mesma. Vida que apesar de nos trazeres muitos desafios a desvendar, nos trazer a serenidade de te viver com muita alegria, paz e amor.
    Peço desculpas pelo recadinho montadinho, eu queria muito passar pelo seu cantinho para e ficar por mais tempinho e desfrutar do aroma deste lindo lugar, pode demorar um pouquinho, mas voltarei.
    Tenha uma linda tarde coberta de muita paz e Amor!
    Com carinho
    Abraço amigo
    Querida amiga se poder venha conhecer o meu site. http://www.mariaalicecerqueira.com.br/
    O meu muito Obrigado de todo o meu coração. Que Deus os abençoe!

    ResponderEliminar
  2. Hum, que viagem tão fresquinha! sempre maravilhosas estas partilhas Maria.
    Obrigada
    Bjs

    ResponderEliminar

“Aqueles que passam por nós, não vão sós, não nos deixam sós. Deixam um pouco de si, levam um pouco de nós” (Antoine de Saint-Exupery).

Obrigado pela sua visita e pelo carinho que demonstrou, ao dispensar um pouco do seu tempo, deixando aqui no meu humilde cantinho, um pouco de si através da sua mensagem.