terça-feira, 4 de junho de 2013

Guimarães


Foto: Wikipedia_SergioPT


Guimarães, situada no distrito de Braga, é uma das mais importantes cidades históricas de Portugal sendo considerada o “Berço da Nacionalidade”.



Foto: http://upmagazine-tap.com

D. Afonso Henriques após a vitória contra a sua mãe na Batalha de São Mamede em 1128, escolheu esta antiga cidade romana, então designada Vimaranes, como capital administrativa do Reino de Portugal. Com o passar dos séculos, a palavra evoluiu para Guimarães, mas os seus habitantes ainda hoje são designados por "Vimaranenses". Foi elevada a cidade em 1853 pela Rainha D. Maria II.

Hoje, preserva cuidadosamente o seu centro histórico, que foi declarado Património Cultural da Humanidade pela UNESCO. As ruas estreitas e de aspecto medieval, com arcos e casas antigas embelezadas por estátuas ou varandas de ferro trabalhado, lembram ainda outros tempos e levam à praça principal, o Largo da Oliveira.


Foto: Wikipedia_Author Concierge.2C

As praças da Oliveira e de Santiago conjuntamente com o Largo do Toural, são consideradas o coração da cidade. No século XVII o Largo do Toural era um largo extramuros junto à principal porta da vila, onde se realizavam feiras de gado bovino e a venda de diversos produtos.


Foto: Wikipedia_António Amen


A cidade de Guimarães ergue-se num vale aos pés do Monte de Santa Catarina, ou Monte da Penha. Um dos locais mais importantes existentes no Monte da Penha é o Santuário da Penha, um centro de peregrinação, ao qual ocorrem muitos fiéis, principalmente na época de Verão. A subida à Montanha pode ser feita através de teleférico indo assim apreciando tranquilamente, a magnífica paisagem sobre Guimarães.



Foto: www.timetogo.com


Santuário da Penha
O Santuário da Penha é uma obra do arquitecto Marques da Silva construído quase todo em granito da região. A sua construção iniciou-se em 6 de Agosto de 1930, tendo sido inaugurado em 1947. 


Foto: wikipedia_Author Joseolgon


Castelo de Guimarães
É um dos monumentos mais conhecidos e emblemáticos de Portugal. Por volta do século X, após a morte do Conde Hermenegildo (ou Mendo) Gonçalves a sua viúva, a Condessa Mumadona, mandou construir na parte baixa de Guimarães, o Mosteiro de Santa Maria e, na parte alta, o castelo, o denominado Castelo de S. Mamede. A construção deste castelo foi necessária para defender dos constantes ataques por parte dos mouros e normandos, o Mosteiro recém edificado e as populações que, viviam ao redor destas duas construções. Todo o cinto de muralhas e as suas torres laterais são obra do período em que o Conde D. Henrique.

Capela de S. Miguel
Localiza-se junto ao Castelo de Guimarães. A sua construção é do século XII em estilo românico, foi-se degradando ao longo dos tempos só tendo sido restaurado no século XIX, pela Sociedade Martins Sarmento.

Paços dos Duques de Bragança
Esta bela casa senhorial do século XV, foi mandada edificar por D. Afonso, (filho ilegítimo do rei D. João I e de D. Inês Pires Esteves), 1º Duque da Casa de Bragança, por altura do seu segundo casamento com D. Constança de Noronha. Voi habitado durante o século XV, tendo posteriormente sofrido um progressivo abandono. Entre 1937 e 1959 realizou-se uma ampla e complexa intervenção de reconstrução executada a partir de um projeto da responsabilidade do arquiteto Rogério de Azevedo.


Foto: www.timetogo.com


Antigos Paços do Concelho – Largo da Oliveira
A sua construção foi iniciada no tempo de D. João I, em fins do séc. XIV. No inicio do séc. XVII foi profundamente remodelada pelo arquitecto João Lopes de Amorim.

Igreja da Nossa Senhora da Oliveira
Situada no Largo da Oliveira é um dos mais significativos exemplares de arquitectura gótica no norte do país. As suas origens remontam ao mosteiro dedicado ao Salvador do Mundo, à Virgem de Santa Maria e aos Santos Apóstolos, fundado pela condessa Mumadona Dias, por volta de 950. No início do século XII, este mosteiro daria lugar à Colegiada de Santa Maria de Guimarães, uma das mais importantes e ricas instituições religiosas do país na Baixa Idade Média. A igreja do Mosteiro de Nossa Senhora da Oliveira foi fundada por D. Afonso Henriques e restaurada no reinado de D. João I para comemorar a sua vitória na Batalha de Aljubarrota, em 1385.
Junto à Igreja o Padrão do Salado é um monumento mandado erguer por D. Afonso IV no século XIV para comemorar a vitória obtida na Batalha do Salado.

Museu Alberto Sampaio – Rua Alfredo Guimarães
Situa-se no Centro Histórico, e foi criado em 1928 para albergar as colecções da extinta Colegiada de Nossa Senhora da Oliveira e de outras igrejas e conventos da região de Guimarães, então na posse do Estado.

Convento Santa Marinha da Costa
Situado no Largo Domingos Leite Castro, o convento foi fundado em 1154, pela rainha D. Mafalda, mulher de D. Afonso Henriques, que o doou aos Cónegos Regrantes de Santo Agostinho. Durante os 350 anos em que o mantiveram, ampliaram a igreja e construíram quatro novas alas envolvendo um novo claustro. Em 1528 esta ordem religiosa foi substituída pelos monges de S. Jerónimo. Em 1951 um enorme incêndio danificou uma grande parte da área conventual, tendo ficado o edifico ao abandono. Em 1972 foi adquirido pelo Estado que anos mais tarde fez obras de restauro, com vista à sua transformação em pousada. Nas instalações do antigo Mosteiro está hoje instalada a Pousada de Santa Marinha.


Gastronomia
Guimarães tem uma uma rica gastronomia muito influenciada pelas suas raízes conventuais especialmente a nível da doçaria, como é o caso das tortas de Guimarães e, principalmente, do toucinho do céu. Na sua excelente cozinha tradicional são vários os pratos que se podem saborear, sendo principalmente de salientar os rojões e bucho recheado, papas de sarrabulho e arroz do mesmo, Bacalhau com Broa, arroz de frango de "pica no chão",que poderão ser acompanhados com o bom vinho verde da região.


Festas e Romarias
As festas populares têm lugar principalmente no Verão e em praticamente todas as freguesias de Guimarães. São exemplo a festa de S. Pedro de Caldas das Taipas, a Romaria Grande de S. Torcato, o S. Jorge e o S. Brás em Pevidém, as Cruzes de Serzedelo, o S. Tiago em Ronfe, o S. João em Polvoreira. As Nicolinas são as Festas dos estudantes do ensino secundário, têm a sua origem na devoção religiosa dedicada a São Nicolau, sendo o seu inicio a 29 de Novembro e o seu término a 7 de Dezembro. As Gualterianas são as maiores Festas, são as Festas da Cidade e decorrem no primeiro fim-de-semana de Agosto.


Foto: www.guimaraesturismo.com

Para além do seu rico património histórico e cultural, Guimarães é também uma cidade onde o artesanato impera pela sua tradição e beleza, como é caso da "Cantarinha dos Namorados" um verdadeiro ex-libris da cidade.



Foto: www.cm-guimaraes.pt


São de referir também os bordados em linho, olaria, ferro forjado, ourivesaria e filigrana, cestos e mobiliário de verga, entre várias outras artes desenvolvidas na cidade. Durante o mês de Maio os artesãos podem mostrar a sua arte na Feira de Artesanato de Guimarães, podendo participar também artistas de todo o país.




A tradição, história e cultura coabitam de forma harmoniosa e cuidada com o desenvolvimento e dinamismo das cidades modernas. Visitei Guimarães à já bastante tempo e ao revê-la num dos meus albuns de fotografias, fiquei novamente com uma imensa vontade de lá voltar novamente.

Vá visitar, Vale a pena.




Fontes e Fotos: Wikipedia; http://pduques.imc-ip.pt/pt-PT/; http://www.guimaraesturismo.com/; http://www.penhaguimaraes.com/; http://www.guimaraesturismo.com/; http://www.portugal-live.net/; www.timetogo.com ; www.portugaltours.com; http://www.guimaraesturismo.com/; http://www.cm-guimaraes.pt/; http://www.turipenha.pt/;  e outros net

Sem comentários:

Enviar um comentário

“Aqueles que passam por nós, não vão sós, não nos deixam sós. Deixam um pouco de si, levam um pouco de nós” (Antoine de Saint-Exupery).

Obrigado pela sua visita e pelo carinho que demonstrou, ao dispensar um pouco do seu tempo, deixando aqui no meu humilde cantinho, um pouco de si através da sua mensagem.