sexta-feira, 25 de maio de 2018

Fim de Semana na Coreia do Sul




Em Abril os meus meninos a Diana, o Fábio e a nossa princesinha foram com uns amigos, passar um fim de semana à Coreia do Sul.




Começaram a visita parando em Imjingak, um parque localizado às margens do rio Imjin na cidade de Paju. 

No  parque existem várias estátuas e monumentos sobre a Guerra da Coreia.




Seguiram até Dorasan Station, a estação ferroviária terminal norte da Linha Gyeongui. A Estação Dorasan está localizada a aproximadamente 650 metros do limite sul da Zona Desmilitarizada Coreana, a 56 km de Seul e a 205 km de Pyeongyang.




Foram até à zona desmilitarizada (Korean Demilitarized Zone - DMZ), uma faixa de segurança que protege o limite territorial de tréguas entre as repúblicas coreanas, estabelecido em 1953 e que constitui a fronteira de facto entre os dois países. Tem 4 km de largura e 238 km de comprimento.






Seguiram depois para Seul.




Visitaram o Palácio Gyeonghuigung, um dos cinco grandes palácios construídos durante a dinastia Joseon. Foi utilizado como uma casa real secundária para o rei. Durante mais de 200 anos, residiram nele dez reis. A construção começou em 1600 durante o reinado do rei Gwanghaegun.




Passearam pelo Palácio Gyeongbokgung ou Palácio Gyeongbok, um palácio real localizado em Jongno-gu. Construído originalmente em 1395, mais tarde sofreu um incêndio e ficou abandonado durante quase três séculos tendo sido reconstruído em 1867. Era o principal e maior palácio entre os "Cinco Grandes Palácios" construídos pela Dinastia Joseon.






Foram até ao Parque Namsan,  de onde puderam desfrutar de uma extraordinária vista panorâmica de Seul.




Subiram à Torre de Seul que fica localizada no topo do monte Namsan.




É claro que ainda houve um tempinho especial para a nossa princesinha se divertir







Passearam por Bukchon Hanok Village, uma vila tradicional coreana, com uma longa história, que fica localizada entre o Palácio Gyeongbok, o Palácio Changdeok e o Santuário Real de Jongmyo. 




Muitas das antigas casas tradicionais coreanas, as hanok, foram remodeladas para cafés, restaurantes e casas de chá. A aldeia tradicional é composta de muitos becos, hanok e é preservada para mostrar um ambiente urbano de 600 anos atrás.





Para terminar um miminho para a Leonor, foram a um café de gatinhos




E rapidamente chegou a hora de voltar a Macau.




Fotos: Diana e Fábio

Sem comentários:

Enviar um comentário

“Aqueles que passam por nós, não vão sós, não nos deixam sós. Deixam um pouco de si, levam um pouco de nós” (Antoine de Saint-Exupery).

Obrigado pela sua visita e pelo carinho que demonstrou, ao dispensar um pouco do seu tempo, deixando aqui no meu humilde cantinho, um pouco de si através da sua mensagem.