segunda-feira, 30 de maio de 2011

Tasmânia


A Tasmânia é uma bela e selvagem ilha na fronteira entre a Austrália e a Antárctida. É conhecida como "O Alabama Australiano" devido à sua natureza selvagem. Montanhas altas que se cobrem de neve no Inverno, vales férteis, lagos de aguas límpidas e cristalinas, escarpas e rochedos espectaculares ao longo da costa e praias com enseadas maravilhosas, tornam esta ilha “Um mundo aparte”.


Foto: wikipedia_Bjørn Christian Tørrissen


Foi habitada primeiramente pelos aborígines que lá chegaram há 35 mil anos quando a região ainda estava unida ao continente. O primeiro europeu a pisar na ilha de acordo com relatos da época, foi o holandês Abel Tasman, em 1642. Chamou-a de Terra de Van Diemen, nome do governador das Índias Orientais holandesas. O actual nome é uma homenagem a Tasman.


Foto: www.wall321.com

Separada da Austrália continental pelos 240 quilómetros do estreito de Bassin, a Tasmânia é um território distinto do resto da Austrália. A população actual da Tasmânia é de origem inglesa ou irlandesa. A sua colonização iniciou-se em 1803 e até 1853 foi uma colónia penitenciária. Em 1901, Tasmânia, passou ser um dos estados da Commonwealth da Austrália.



Foto: www.trekearth_Copyright: Gladys Bennett


A população da Tasmânia está concentrada nas costas norte e sudeste, onde a ondulante região rural é rica e fértil e a costa é acessível e convidativa. Por outro lado, as costas a sudoeste e oeste são selvagens e remotas.


Foto:www.hdwallpaperbackground.com


Na maior parte do ano o mar castiga a costa oeste e as chuvas são intensas. No interior, as ricas florestas e montanhas do oeste e sudoeste da Tasmânia formam uma das últimas grandes áreas selvagens do mundo, quase toda ela uma região declarada Património Mundial pela UNESCO.

Foto: 1ms.net

Hobart é a capital de Estado, é uma cidade encantadora e cheia de charme. Situada no estuário do Rio Derwent e com a montanha Wellington como pano de fundo, Hobart é uma histórica cidade de tradição marinheira e com um profundo sentimento do seu passado. A mistura de casas coloniais e formosos parques, convertem-na em uma das cidades com mais história da Austrália.


Foto: wikipedia_wlcutler


A parte mais antiga da cidade abriga o parlamento e armazéns históricos como o Salamanca Place, feito de arenito, que hoje abriga restaurantes, galerias de arte e lojas de artesanato.

De salientar a Casa do Parlamento, construída por convictos em 1841, o Teatro Real, o mais antigo da Austrália, Penitentiary Chapel e Criminal Courts. Quanto aos museus, de referir o Museu de Tasmânia e a Galeria de Arte, com uma excelente colecção de arte aborígem e peças da época da colónia. O Museu Marítimo distingue-se pelas mostras que narram a história do porto, enquanto o Museu Vam Diemen´s Land Folk exibe as peças mais antigas dos pioneiros. Sobressaem, também, o Museu Allport e a Livraria de Belas Artes, os Jardins Botânicos, a Fábrica de Chocolates Cadbury Schweppes ou a Destilaria Cascade.

Perto de Hobart, a Vila de Richmond, encontram-se ruínas de alguns dos complexos penitenciários da época dos convictos estão semi-intactos, é um local a não perder.


Ponte de Richmond
Foto:wikipedia_Noodle snacks


Partindo de Hobart na direcção sul encontram-se pequenos e pitorescos povoados como Kettering, ponto de saída e chegada para Bruny Ilhand; Cygnet; Grove, com um modesto museu; Geeveston, porta de entrada ao Parque Nacional de Hartz Mountains; Dover, um porto de pescadores, ou Hasting a atrair os numerosos viajantes que procuram suas águas termais. A última povoação da zona é Lune River. Mais para o sul aparecem espectaculares gargantas e mais além, o Mar da Tasmânia.
A norte o Parque Nacional Freycinet, ocupa uma parte grande da península de Freycinet sendo famoso pela atractiva Wineglass Bay.


Freycinet
Foto:wikipedia_Mikeybear

Launceston é a segunda mais importante cidade da Tasmânia e encontra-se na saída do Rio Tamar. Casas vitorianas de madeira enfeitam as ruas montanhosas de Launceston. Nas imediações localiza-se a impressionante Cataract Gorge, onde o rio vai enchendo profundas piscinas naturais.


Launceston
Foto: wikipedia_DANIEL JULIE

No litoral norte da Tasmânia, encontram-se paisagens de inacreditável beleza, espalhadas de pequenas vilas como Westbury, com sua famosa White House; Deloraine, destacando pelo estilo vitoriano e georgiano; Mole Creek, onde abundam as grutas de pedra e abundante vida selvagem.


Deloraine
Foto: http://www.australiantraveller.com

Devonport é a porta de entrada a Tasmânia, o lugar onde atracam os férries procedentes do Estado de Vitória. Adornada por terras rurais férteis e uma faixa costeira selvagem, Devonport é conhecida pela sua cultura criativa, tranquilidade e pelo ar limpo do mar. No porto, os navios Spirit of Tasmania tornaram-se uma referência.


Foto: Wikipedia


A área declarada Património Mundial da Unesco é uma das maiores áreas de conservação na Austrália, cobrindo 13.800 km², a área constitui uma das últimas selvas temperadas no mundo. Destacam-se por exemplo o Parque Nacional Franklim Gordon Wild Rivers, que conjuntamente com o Parque Nacional South West (ao sul) e o Cradle Mountaim Lake St. Clair (ao norte), ocupam quase trinta por cento da superfície total da Tasmânia.

Foto: wikipedia_Bjørn Christian Tørrissen


Nesta área, encontra-se o pico culminante do estado, Mount Ossa, a famosa Craddle Mountain, o Dove Lake, além do Overland Track - trilha que atravessa a floresta tropical e que liga Craddle Mountain ao St Clair Lake.


Ilhas
A Tasmânia conta com várias ilhas em volta como Bruuny Ilhand, Maria Island, Hunter Island ou Robbins Island. Porém, são as Bass Strait Island, as duas mais importantes.


Foto: www.wall321.com

Port Arthur é a atracção turística mais visitada da Tasmânia. Fica numa zona originalmente habitada pelo povo Pyderrairme mas que, a partir de 1833, foi transformada num estabelecimento prisional erguido para albergar os “piores criminosos do império”. Conserva numerosas edificações coloniais como a restaurada Model Prision ou o Lunatic Asylum, convertido em museu.



Foto: wikipedia_LC95

Diabo-da-Tasmânia
A ilha da Tasmânia, foi o reduto de algumas espécies que desapareceram no resto da Oceania. O diabo da Tasmânia é actualmente endêmico desta ilha sendo o seu emblema. Encontra-se ameaçado de extinção devido a um tipo raro de cancro facial que está a reduziu drasticamente a sua população.

Foto: wikipedia_JJ Harrison


A Tasmânia é um lugar incrível com lindíssimos parques naturais, exuberante fauna e Flora, paisagens impressionantes.

Fontes e Fotos : Wikipedia; http://www.portalsaofrancisco; http://www.portaloceania.com; www.almadeviajante.com; www.australia.com; http://www.yesaustralia.com/; Pixdaus; http://www.australiantraveller.com; www.wall321.com; outros net.



Foto: wikipedia_Flying Freddy


“Quantos lugares meu Deus, para viajar! Lugares, recordados ou apenas imaginados” (Cecilia Meireles)

terça-feira, 17 de maio de 2011

Ilha de Santa Maria - Um dos Paraísos do Atlântico


Os Açores é um arquipélago lindissimo, hoje proponho fazermos uma visita virtual á encantadora Ilha de Santa Maria. Esta ilha situa-se no extremo sudeste do arquipélago dos Açores, foi a primeira ilha do arquipélago a ser povoada em 1439, situando-se a sua capital em Vila do Porto, a mais antiga das vilas Açorianas.


Foto: José Luís Ávila Silveira/Pedro Noronha e Costa


Geologicamente é a mais antiga dos Açores, com formações que ultrapassam os 8,12 milhões de anos de idade. Esta idade comparativamente avançada confere maturidade ao relevo e explica a presença de extensas formações de origem sedimentar onde se podem encontrar fósseis marinhos.

A região ocidental da ilha está recoberta por um solo argiloso de cor avermelhada, resultante da profunda alteração de piroclastos de idade pliocénica, formados quando o clima da ilha era muito mais quente e húmido do que o actual e o nível médio do mar se situaria cerca de 100 metros abaixo do actual.


Foto: wikipedia_Carlos Luis MC da Cruz


A costa da ilha é em geral escarpada, atingindo os 340 metros de altura nas arribas do lugar da Rocha Alta. A ilha tem um conjunto de pontas muito pronunciadas (Ponta do Marvão, Ponta do Castelo e Ponta do Norte), demarcando algumas baías abrigadas onde aparecem praias de areias brancas (Baía de São Lourenço e Praia Formosa.


Foto: Olhares_Sofia Botelho


Ao longo das costas de Santa Maria existem alguns ilhéus e rochedos de dimensão apreciável, com destaque para o ilhéu do Romeiro (São Lourenço), o ilhéu da Vila e o ilhéu das Lagoínhas.


Foto: wikipedia_Carlos Luis MC da Cruz


Tem um clima oceânico menos acentuado do que as demais ilhas do arquipélago, ameno, aproximando-se das características do clima mediterrânico, com um Verão seco e quente, bem marcado, e um Inverno suave e pouco chuvoso.

Apresenta uma baixa densidade florestal, com apenas 19 hectares de área florestada de produção, salientando-se as plantações de criptoméria nas faldas do Pico Alto. As zonas de matas são dominadas pelo incenso ("Pittosporum undulatum"), zimbros ("Juniperus") e loureiros.

O relevo e a riqueza de contrastes entre a terra e o mar, a que se associa o equilíbrio arquitectónico dos povoados, conferem grande beleza à paisagem. O ponto mais alto da ilha é o Pico Alto com 590m de onde se usufriu de uma magnifica vista panorâmica da ilha.

Foto: wikipedia_Carlos Luis MC da Cruz

A pesca é factor importante na vida da ilha, embora claramente secundário em relação à actividade aeronáutica, ao turismo e à agropecuária.

O povoamento é disperso, com as casas espalhadas por toda a ilha, formando pequenos núcleos ao longo das zonas mais ricas em água da parte ocidental e aninhadas nos vales da parte oriental. A habitação tradicional é em alvenaria de pedra, com rebocos pintados de branco, barras coloridas em torno das portas e janelas e grandes chaminés cilíndricas, fazendo lembrar as casas alentejanas e algarvias.


fotos de Helder Oliveira

■ Vila do Porto
O maior povoado da ilha e sede do concelho de mesmo nome, urbanísticamente está dividida em duas partes:
• abaixo da Igreja Matriz, onde se mantém o traçado primitivo das ruas de cariz medieval;
• acima da Igreja Matriz, de ocupação mais recente, ao longo de uma rua comprida e larga, terminando na altura da Igreja de Santo Antão.

Igreja de Santo Antão

Foto: wikipedia_Carlos Luis MC da Cruz


■ Vila de Anjos
Pequena localidade a norte da ilha, povoação à beira mar, pequeno porto de pesca e piscina natural, local onde Cristóvão Colombo terá rezado com a sua tripulação no regresso da descoberta da América em 1493.

Foto: wikipedia_Carlos Luis MC da Cruz

Algumas das maravilhas da ilha:
O património edificado da ilha é constituído por uma ampla variedade de exemplares, de vários tipos - públicos e particulares, civis, religiosos e militares, protegidos e valorizados pela sua importância histórico-cultural.

■ Farol de Gonçalo Velho
Localiza-se na ponta do Castelo, freguesia do Santo Espírito. Trata-se de um conjunto edificado integrado por um farol e pelas habitações dos faroleiros.

Foto: wikipedia_Carlos Luis MC da Cruz

■ Forte da Baía de São Lourenço
Localizava-se na baía de São Lourenço, na freguesia da Santa Bárbara. A baía de São Lourenço serviu, até à época dos antigos paquetes, como porto alternativo de abrigo ao de Vila do Porto. Estância balnear com praia e piscinas naturais.

Foto: wikipedia

■ Igreja de Nossa Senhora da Assunção
A Igreja Matriz de Nossa Senhora da Assunção localiza-se na freguesia da Vila do Porto. Sob a invocação de Nossa Senhora da Assunção, padroeira da vila, data do início do século XV, constituindo-se numa das igrejas mais antigas do arquipélago.

Foto: wikipedia_Carlos Luis MC da Cruz


■ Ermida de Nossa Senhora da Conceição (Vila do Porto)
Também conhecida como Ermida de Nossa Senhora da Conceição da Rocha ou Ermida de Santa Luzia, localiza-se no largo Sousa e Silva, na freguesia da Vila do Porto. Esta foi a primitiva igreja paroquial, a primeira de Vila do Porto. Fica localizada junto ao Forte de São Brás.

Foto: wikipedia_Carlos Luis MC da Cruz


■ Forte de São João Baptista da Praia Formosa
O Forte de São João Baptista da Praia Formosa, também denominado como Castelo da Praia, localiza-se à Praia Formosa na baía da Praia, na freguesia da Almagreira. Em posição estratégica sobre aquele trecho da costa da ilha, era destinado à defesa daquele ancoradouro contra os ataques de piratas e corsários, outrora frequentes nesta região do Oceano Atlântico.

Foto: wikipedia_Carlos Luis MC da Cruz


■ Ermida de Nossa Senhora da Saúde (São Pedro)
Localiza-se na freguesia de São Pedro, concelho da Vila do Porto. A actual ermida foi erguida em meados do século XVIII, em substituição à anterior, que se encontrava arruinada.

Foto: wikipedia_Carlos Luis MC da Cruz

■ Ermida de Nossa Senhora de Fátima (São Pedro)
Localiza-se no Alto das Feteiras, na freguesia de São Pedro. Foi a primeira ermida, após a Capelinha das Aparições na Cova da Iria, a ser construída sob a invocação de Nossa Senhora de Fátima.

Foto: wikipedia_Carlos Luis MC da Cruz

■ Ermida de Santo António (Santo Espírito)
A ermida localiza-se num vale, no lugar de Santo António, na freguesia do Santo Espírito, a leste no sopé do pico do Cavaleiro, junto a uma fonte, onde se origina a ribeira de Santo António, primitivamente denominada de ribeira de Diogo Gil.

Foto: wikipedia_Carlos Luis MC da Cruz

■ Igreja de Nossa Senhora da Purificação (Santo Espírito)
Também denominada de Igreja das Candeias, localiza-se na freguesia do Santo Espírito. A sua primitiva edificação remonta ao século XVI, sob a invocação de Nossa Senhora da Purificação, conforme consta de todos os seus documentos conhecidos.

Foto: wikipedia_Carlos Luis MC da Cruz

■ Museu de Santa Maria
O Museu de Santa Maria é uma instituição dedicada à etnografia e à divulgação e promoção cultural localizada na freguesia de Santo Espírito.


Onde dormir:
A ilha conta com várias unidades hoteleiras, de turismo de habitação e de turismo rural, entre outros:

Hotel Colombo - Vila do Porto



Hotel Santa Maria - Vila do Porto
Apart. Turísticos Mar e Sol - Praia Formosa - Vila do Porto
Casa de São Pedro - Turismo de Habitação - São Pedro

Apartamentos:
http://www.classificados.pt/
http://pt.anuncioo.com/
http://www.homelidays.com/
http://www.bigcasa.pt/
http://portugal.gabinohome.com/
http://www.atalho.com/

Festas e Tradições
Como nas demais ilhas açorianas, uma das actividades culturais mais marcantes são as celebrações do Divino Espírito Santo, que remontam ao início do povoamento e ao papel de destaque que a Ordem de Cristo e os Franciscanos tiveram na vida religiosa do arquipélago. As festividades incluem a coroação de uma ou mais crianças, em que o "Imperador" usa um ceptro e uma coroa de prata, símbolos do Espírito Santo, culminando com uma grande festa no sétimo domingo depois da Páscoa, o domingo de Pentecostes. Na ocasião são realizados os "Impérios" em honra do Espírito Santo, quando são distribuídas gratuitamente as chamadas "sopas", cozinhadas segundo as antigas tradições. Esta festa é celebrada em todas as freguesias.

Foto: wikipedia_Carlos Luis MC da Cruz

- Celebração do Senhor Santo Cristo dos Milagres, na Vila do Porto.
- O Festival Maré de Agosto durante os dias 23 a 26 de Agosto.
- As festas em honra da sua padroeira Nossa Senhora da Assunção, na Vila do Porto a 15 de Agosto,

Artesanato:
Destacam-se a confecção de louça e de outras peças de olaria em barro vermelho (cuja tradição atualmente se procura recuperar), as camisolas de lã feitas manualmente, as mantas de retalhos coloridas e os panos de linho, os chapéus de palha, os cestos de vime e vários objectos em madeira e ferro.

Foto: wikipedia_Carlos Luis MC da Cruz

Gastronomia
A gastronomia da ilha é rica, destacando-se o caldo de nabos, o bolo na panela, a caçoila, o molho de fígado, a sopa e a caldeirada de peixe. Entre os mariscos citam-se o cavaco, as lapas e as cracas. No campo da doçaria, citam-se os biscoitos encanelados, os de orelha, os brancos, os de aguardente e as cavacas. Entre as bebidas, o vinho de cheiro, o vinho abafado, o abafadinho, os licores de amora, de leite e a aguardente, são típicos.

Foto: wikipedia_Carlos Luis MC da Cruz

A ilha de Santa Maria com paisagens lindas, praias de areia branca, campos verdes salpicados de flores, o azul do oceano e uma imensa paz e tranquilidade, associado à gentileza das suas gentes, tornam esta ilha um local ideal para descansar.

Vá visitar, Vale a pena admirar esta lindíssima ilha.

Fontes e Fotos: Wikipedia; http://www.rotasturisticas.com/; olhares; http://www.portais.ws/a/stamaria.html; http://www.azorestourism.com/guia/smaria.php; http://www.azoresweb.com/santa_maria_pt.html; http://a-tropical-island.com/azore-islands/santamaria/; outros.

Foto: wikipedia_Carlos Luis MC da Cruz

Sempre que viajamos seja física ou virtualmente (através por exemplo da leitura), alargamos os nossos horizontes, pois vamos conhecer novos locais, novos costumes, novas realidades e gentes. Aumentamos o nosso conhecimento e enriquecemos interiormente.

sexta-feira, 13 de maio de 2011

Um mundo de Cores – Tulipas na Holanda


No hemisfério Norte estamos na primavera a estação do renascer da natureza e falar em natureza é falar no despontar de mil flores por campos e jardins do mundo inteiro. Hoje proponho uma visita pelos campos de tulipas da Holanda.




A Primavera trás à Holanda um esplendôr muito especial, os campos tornam-se arte ao transformaremm-se em pinturas gigantes multicoloridas.






Depois de hibernar durante os frios meses de Inverno a Natureza começa a renascer.




Longos campos maravilhosos de tulipas, estendem-se até perder de vista.




Parecem tapetes de mil cores.






Listas de roxo, branco, amarelo, vermelho, laranja, rosa e verdes compõem este tapete da natureza de uma forma encantadora.




Um espetáculo de cor e beleza que nos deixa enibriados .




As tulipas foram levadas para a Holanda no século 17 por Carolus Clusius, um famoso biólogo de Viena, que se tornou diretor da Hortus Botanicus em Leiden, o mais antigo jardim botânico da Europa, fundada em 1587.




Ao longo dos anos foram criados milhares de híbridos de tulipas e hoje apresentam-se nas mais diferentes cores e variações.




Os bolbos plantados no final de Outubro e início de Novembro, florescem em Maio, tornando os campos um mar colorido.






Milhões de tulipas são cultivadas por ano sendo cerca de dois terços destas lindíssimas flores exportadas, principalmente para os EUA e Alemanha.




Para apreciar todo o tipo de tulipas e muitas outras espécies de flores, nada melhor do que passear pelo famoso parque Keukenhof.  Pode visitar virtualmente este divinal jardim entrando no seu site oficial em: Keukenhof Garden.




Com as suas cores vibrantes e a sua delicadeza estas magnificas flores deslumbram todos os olhares.




"Nós podemos conceber o que a humanidade seria se não conhecesse as flores?" (Maurice Maeterlinck)