sábado, 19 de março de 2011

Mina de S. Domingos o Passado e o Presente


Para quem vive na cidade como eu, o Baixo Alentejo oferece a tranquilidade e paz que dificilmente se consegue nos grandes centros urbanos. Ao percorrermos as extensas paisagens salpicadas de sobreiros e oliveiras, vamos vendo aqui e ali  ruinas de antigas habitações, famílias que seguiram outros caminhos, o silêncio é uma constante e vão aparecendo pequenas aldeias que parecem perdidas no tempo.


Foto: Pessoal

A Mina de São Domingos é uma antiga aldeia mineira, situada na freguesia de Corte do Pinto, no concelho de Mértola, no Baixo Alentejo. Os meus pais nasceram aí e o meu avô paterno foi um dos muitos trabalhadores dessa mina. A história da mina de São Domingos é anterior aos tempos do Império Romano. Com a sua redescoberta em 1854, por Nicolau Biava e o início da exploração em 1858, a empresa proprietária da Mina La Sabina concedeu os direitos de exploração à empresa Mason and Barry que junto ao complexo mineiro construiu um bairro para os operários, hospital, escola, casas para o pessoal especializado, enfim uma aldeia. A arquitetura da aldeia refletia a hierarquia da empresa, na zona dos ingleses as casas eram amplas e com jardins, enquanto que na área reservada aos operários as habitações eram de taipa, alinhadas e com um espaço diminuto para a quantidade de pessoas que tinham de albergar.


 Foto: Pessoal


Esta mina foi no passado, a maior mina de pirite e cobre da Península Ibérica. A exploração era essencialmente feita a céu aberto, embora também se praticasse uma exploração subterrânea que ia até cerca dos 120 m de profundidade, tendo os trabalhos continuado por meio de poços e galerias até aos 400 m. Foi explorada em larga escala durante cerca de 100 anos. Hoje restam apenas vestígios de edifícios, de velhas construções, de vias-férreas que agora se encontram em ruína, são as sombras do passado.




Em redor vêem-se lagoas ácidas com um pH de aproximadamente 2,4. Estas lagoas foram criadas há algumas décadas atrás para fazer decantação, ou seja, para fazer a separação de misturas heterogéneas entre um sólido e um líquido ou de líquidos imiscíveis (que não se misturam), das escorrências da antiga mina.


Foto: Net


Na Zona nobre, reservada aos ingleses, situava-se o "Palácio dos Ingleses", antiga sede administrativa da mina, a construção mais distinta, o edifício é onde hoje se encontra o Hotel de São Domingos.


Foto: Net


Pessoalmente não conheço, mas tenho amigos que já lá ficaram instalados e adoraram os dias que lá passaram. Segundo eles tudo impecável, quer o alojamento, a comida, as condições oferecidas aos clientes, como a piscina, auditório, um observatório com telescópio para quem pretender apreciar as estrelas, bem como a simpatia dos profissionais que lá trabalham. Para quem quiser ir visitar e passar uns dias tranquilos.

Foto: Net


Praia fluvial da Tapada Grande
Eu e a minha família adoramos este espaço principalmente na Primavera. É um sitio tranquilo ideal para nadar, andar de barco, passear ou simplesmente descansar. De Verão torna-se pequeno para a quantidade de pessoas que ali chegam, mas nas restantes alturas do ano, é um lugar lindo e aprazível onde o silêncio é apenas quebrado pelo cantar dos pássaros ou pelo vento nas folhas dos eucaliptos. Um oásis encantador para quem procura quebrar a rotina stressante do quotidiano da cidade.


Foto: Pessoal


Casa do Mineiro
Casa do Mineiro, é o primeiro pólo permanente do Museu da Mina de S. Domingos. A Casa do Mineiro procura mostrar a realidade física do espaço de vivência de uma família mineira. Os seus objectos, as suas memórias, os seus símbolos.



 Foto: Net

Centro de Documentação
O Centro de Documentação pretende ser um espaço de recolha, arquivo, estudo e tratamento de todo o tipo de documentação (fotográfica, documental, material) que a comunidade mineira disponibilize para ajudar a construir a história do complexo industrial da Mina de S. Domingos.

Quando vamos passar uns dias até á Corte do Pinto é imprescindível irmos comer ao restaurante “Alentejo” do amigo Cesário que fica na Moreanes uma localidade bem perto da Mina de S. Domingos,a caminhode Mértola. É um restaurante típico alentejano, decorado com artefactos agrícolas do passado, um ambiente familiar e comida divinal, eu adoro principalmente as migas com carne de porco preto. No Inverno, comer lá com o calorzinho da lareira e sem o movimento habitual do Verão é como estarmos em nossa casa, uma maravilha!


Foto: Pessoal


Hoje a Mina de S. Domingos é uma pacata aldeia, um excelente refúgio para quem queira passar uns dias em paz e tranquilidade. Vá visitar, Vale a pena.


Foto: Pessoal

Foto: Pessoal


Fonte e Fotos: Wikipedia; visitportugal; rotasturisticas ; visitalentejo; http://www.minasaodomingos.comyr.com/ ; http://ttonline.homeip.net/; Olhares; Panoramio: outros


Foto: Pessoal

"Sem a cultura, e a liberdade relativa que ela pressupõe, a sociedade, por mais perfeita que seja, não passa de uma selva. É por isso que toda a criação autêntica é um dom para o futuro." (Albert Camus)

6 comentários:

  1. Oi, Maria
    Hoje vim conhecer seu outro blog e acabei ficando. Como adoro viajar, o "Viajar é alargar nossos horizontes" vai ser meu guia de cabeceira, principlamente no que se refere aos ecantos de Portugal!!!
    Bjs. O blog está lindo, repleto de informações úteis e curiosas.

    ResponderEliminar
  2. Aianda pretendo conhecer esta Linda Portugal.
    Bjs.
    Sandra

    ResponderEliminar
  3. Maria, estou passando para deixar uma pequena reflexão e dizer que estrou sentindo tua falta em meu blog...

    "Construir a felicidade é um ato paciente que não se alcança queimando etapas. Percorra."

    Paz e bem!!!

    ResponderEliminar
  4. Belas fotografias de valioso Património...Espectacular....
    Cumprimentos

    ResponderEliminar
  5. Uma pequena correcção.O restaurante Alentejo fica em Moreanes a caminho de Mertola e não a caminho da Corte do Pinto que fica na direcção oposta.Fica o reparo.

    ResponderEliminar
  6. Zarcos Palma
    Talvez eu não me tenha expressado correctamente, o que pretendia dizer era que quando vou visitar a Corte do Pinto, vou forçosamente comer nesse restaurante. Quando vamos da Corte do Pinto, passamos pelas Minas de S.Domingos, Moreanes onde fica o restaurante e seguindo a estrada iremos para Mértola. Conheço muito bem essas localidades, tal como conheço o restaurante. Agradeço o seu reparo, corrigi a frase e penso que agora estará mais perceptível.
    Um abraço
    Maria

    ResponderEliminar

“Aqueles que passam por nós, não vão sós, não nos deixam sós. Deixam um pouco de si, levam um pouco de nós” (Antoine de Saint-Exupery).

Obrigado pela sua visita e pelo carinho que demonstrou, ao dispensar um pouco do seu tempo, deixando aqui no meu humilde cantinho, um pouco de si através da sua mensagem.

Topo